18.1 C
Vila Nova de Famalicão
Sábado, 23 Outubro 2021
Partilhar
  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    4
    Shares
Mariana Dewasmes
Tem 19 anos, é aluna de Gestão na Universidade do Minho e apaixonada por maquilhagem, música e pela ideia de que este mundo possa vir a ser melhor.

Pensar como um homem caucasiano (heterossexual)

A ele, a justiça assenta-lhe como uma luva. Porque haverá ele de discutir ou lutar contra algo pensado e executado por e para a sua espécie?

2 min de leitura
- Publicidade -
Mariana Dewasmes
Tem 19 anos, é aluna de Gestão na Universidade do Minho e apaixonada por maquilhagem, música e pela ideia de que este mundo possa vir a ser melhor.

Famalicão

Injex cresce na pandemia. França e Alemanha são mercados prioritários

A empresa fundada pelo famalicense José Duarte Pinheiro de Lacerda acelera o processo de internacionalização na França e na Alemanha.

Democracia, liberdade e jornalismo

Notícias são sobre factos. Opiniões, favoráveis ou desfavoráveis, não mudam a realidade dos factos.

Presidente da Câmara de Famalicão recebe cidadãos às quartas-feiras mediante marcação prévia

Mário Passos mantém presidência aberta com atendimento aos munícipes.

Desacatos no Parque da Devesa levam a participação na Polícia

Tumulto na sessão de esclarecimento promovida pela Associação Famalicão em Transição.
Partilhar
  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    4
    Shares

Eu é que gosto quando um homem caucasiano (não podendo esquecer, heterossexual), que tem o mundo nas mãos, me diz que o funcionamento da (in)justiça perante sujeitos que não ofereçam exatamente as caraterísticas dele é um assunto cansado. A ele, a justiça assenta-lhe como uma luva. Porque haverá ele de discutir ou lutar contra algo pensado e executado por e para a sua espécie?

Realmente não faz sentido. E porque haveriam os indivíduos de estirpe diferente à sua importuná-lo com tão entediante tema? Não é que ele não compreenda o desconforto dos outros: ele até acha que entende, atenção! No entanto, qual será a vantagem de empenhar tantos esforços neste sentido, se nem sequer é possível estabelecer uma verdadeira correlação entre as vezes que a justiça sofre falhas com as vezes em que isto acontece em ordem a beneficiar um homem caucasiano (heterossexual) e/ou tramar sujeitos que ofereçam outras caraterísticas que não estas (raras vezes acontecendo as duas coisas ao mesmo tempo, também não podemos cair no erro de exagerar, senão ainda estamos a adicionar mais coisas ao prato das coisas que vemos mas na verdade não estão lá)?

Os números existem e são de fácil acesso, a interpretação já começa a dar trabalho e a gerar algum incómodo, mas ainda resta uma dúvida, a mais importante delas todas: Quem lhe garante que os números não mentem? Quem lhe garante que isto não é apenas fruto da imaginação dos restantes e que com isto apenas possuem o objetivo maléfico de arrancar de si o seu direito de nascença de passar por cima de tudo e todos sem nunca ser prejudicado? Só de pensar até já sente uma dor no peito…

Não, nunca! Nunca mais pensa nisso, e será melhor os outros também não questionarem! Regras são regras, sejam elas escritas ou incorporadas na sociedade! E se alguém da sua espécie as concebeu é porque devem ser cegamente respeitadas! Assim é mais seguro para o homem caucasiano (heterossexual).

Comentários

Mariana Dewasmes
Tem 19 anos, é aluna de Gestão na Universidade do Minho e apaixonada por maquilhagem, música e pela ideia de que este mundo possa vir a ser melhor.