9 C
Vila Nova de Famalicão
Sábado, 4 Fevereiro 2023

Centro de apoio comunitário da Engenho vai passar por obras de requalificação

Associação aprovou o plano de atividades e orçamento para 2023

2 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Mário Passos e Eduardo Oliveira têm uma história da vida pessoal em comum

Saiba o que liga os dois políticos famalicenses.

Trabalhadores da Transdev em greve na segunda-feira

Usa transporte público rodoviário em Famalicão? Há greve marcada na Transdev

Moradores de Gondifelos protestam e lagoa de “lixo” é chumbada

Moradores entregaram à Câmara Municipal um abaixo-assinado contra a construção de uma lagoa chorume, líquido que resulta da decomposição do lixo.

Noite de Carnaval terá 12 linhas de autocarros gratuitos para o centro de Famalicão

Três horários disponíveis para ir e regressar.

As obras de requalificação e beneficiação do Centro de Apoio Comunitário irão marcar o ano de 2023 da ENGENHO – Associação de Desenvolvimento Local do Vale do Este, “caso não surjam grandes e inesperados problemas”. A direção da associação informa, em comunicado, que foi aprovada uma candidatura apresentada para este efeito ao programa PARES 3G.

Os associados da ENGENHO estiveram reunidos na manhã do último domingo em assembleia geral e aprovaram, por unanimidade, o plano de atividades e orçamento para o ano 2023. Em termos de orçamento, estão previstos rendimentos no valor de 2.165.250 euros e gastos no montante de 2.160.043 euros, prevendo-se um resultado de 5.206 euros.

Para o presidente da direção, Manuel Augusto de Araújo, é numa situação de “crise macroeconómica com cenários imprevisíveis e instáveis a curto e médio prazo que é elaborado este Plano de Atividades e Orçamento”.

Não obstante, para este responsável, “como sempre, compete-nos saber ultrapassar problemas e superar desafios no sentido de assegurar meios e condições para que a ENGENHO reforce a sua resiliência e continue o seu projeto e a sua obra ao serviço das comunidades locais do seu território de intervenção, numa prática de compromisso social, solidário e comunitário”. Com determinação, Manuel de Araújo afirma ainda que “tudo isto é difícil e custoso, mas tem que ser feito”.

A par da ação e dinâmicas de natureza social, a ENGENHO deverá continuar a trabalhar em rede e em parceria com todos os agentes e atores locais a favor da comunidade, nomeadamente acompanhar e operacionalizar o processo de descentralização de serviços e competências ao nível da ação social, para a Câmara Municipal, no que se refere ao funcionamento do SAAS-Serviço de Acompanhamento e Acompanhamento Social-com restruturação do território/área de influência abrangido pelo mesmo, sob a responsabilidade da ENGENHO.

Comentários

- Publicidade -