9 C
Vila Nova de Famalicão
Sábado, 4 Fevereiro 2023
Luís Paulo Rodrigueshttp://www.luispaulorodrigues.com
Formado em Ciências da Comunicação e da Cultura, é consultor de comunicação e vive em Vila Nova de Famalicão. Como jornalista trabalhou em jornais locais e nacionais. É cofundador do "Notícias de Famalicão". Escreveu o livro “Comunicação – Riscos e Oportunidades”.

A luta dos professores

A sociedade deve olhar para os professores e para os seus problemas com olhos de ver.

1 min de leitura
- Publicidade -
Luís Paulo Rodrigueshttp://www.luispaulorodrigues.com
Formado em Ciências da Comunicação e da Cultura, é consultor de comunicação e vive em Vila Nova de Famalicão. Como jornalista trabalhou em jornais locais e nacionais. É cofundador do "Notícias de Famalicão". Escreveu o livro “Comunicação – Riscos e Oportunidades”.

Famalicão

Mário Passos e Eduardo Oliveira têm uma história da vida pessoal em comum

Saiba o que liga os dois políticos famalicenses.

Trabalhadores da Transdev em greve na segunda-feira

Usa transporte público rodoviário em Famalicão? Há greve marcada na Transdev

Moradores de Gondifelos protestam e lagoa de “lixo” é chumbada

Moradores entregaram à Câmara Municipal um abaixo-assinado contra a construção de uma lagoa chorume, líquido que resulta da decomposição do lixo.

Noite de Carnaval terá 12 linhas de autocarros gratuitos para o centro de Famalicão

Três horários disponíveis para ir e regressar.

A par da saúde, a educação é um dos pilares do desenvolvimento coletivo. E os professores são peças fundamentais no sistema de ensino. Por isso, para uma boa educação é essencial que tenhamos professores motivados. Professores que tenham uma profissão valorizada pela sociedade e, por consequência, valorizada pelas famílias e pelos alunos.

Uma remuneração digna e compatível com a importância que a educação tem no desenvolvimento do país é um dos elementos fulcrais para que tenhamos professores motivados para ensinar e aprender todos os dias.

Professores respeitados e motivados têm mais probabilidades de serem felizes no seu trabalho, produzindo mais e melhor. Um professor produz bem quando ensina bem e consegue envolver os alunos e as famílias no desígnio coletivo de uma sala de aula, que é  formar os cidadãos e os profissionais de amanhã.

Donde, uma boa educação é uma das condições basilares para que o país tenha uma sociedade mais e melhor formada, com maior consciência da sua cidadania, e uma economia mais saudável e mais desenvolvida.

Por tudo isto, e não sendo professor, mas defendendo a escola pública e tendo duas filhas na escola pública, estou ao lado dos professores na sua luta por melhores condições, nomeadamente remuneratórias, para o exercício da sua profissão. Ainda que esta greve seja realizada no mês de janeiro, num momento importante do ano letivo, podendo prejudicar a educação dos nossos filhos.

Num país em que as notícias em destaque continuam manchadas pela corrupção promovida pelos espertalhões do costume, ainda que, em muitos casos, por força da saudável ação das polícias e dos tribunais, espero que esta onda grevista que paralisa a escola pública neste mês de janeiro se transforme no sobressalto cívico necessário para não deixar cair de vez no descrédito a profissão de professor – uma profissão a nobre e absolutamente necessária, que as novas tecnologias jamais substituirão cabalmente e que deve ser devidamente respeitada.

A verdade é que só assim – com uma luta que, infelizmente, acaba por desestabilizar famílias e empresas –, é que os profissionais da educação podem ser ouvidos e fazer com que a sociedade e, em especial, o Ministério da Educação e o Governo, olhem para eles e para os seus problemas com olhos de ver.

 

 

Comentários

Luís Paulo Rodrigueshttp://www.luispaulorodrigues.com
Formado em Ciências da Comunicação e da Cultura, é consultor de comunicação e vive em Vila Nova de Famalicão. Como jornalista trabalhou em jornais locais e nacionais. É cofundador do "Notícias de Famalicão". Escreveu o livro “Comunicação – Riscos e Oportunidades”.