12 C
Vila Nova de Famalicão
Quinta-feira, 25 Abril 2024
Sandra Pimenta
Residente em Ruivães, é uma defensora dos direitos humanos e ativista pelos animais e ambiente. Tornou-se vegetariana em 2005 e vegana em 2010. É porta-voz da comissão política concelhia de Famalicão do partido Pessoas Animais Natureza (PAN) e membro da comissão política distrital e nacional.

Ano novo, vida nova… Só que não!

O nosso concelho está a ficar triste, cinzento, sem biodiversidade, repleto de armazéns industriais e saturado de automóveis.

2 min de leitura
- Publicidade -
Sandra Pimenta
Residente em Ruivães, é uma defensora dos direitos humanos e ativista pelos animais e ambiente. Tornou-se vegetariana em 2005 e vegana em 2010. É porta-voz da comissão política concelhia de Famalicão do partido Pessoas Animais Natureza (PAN) e membro da comissão política distrital e nacional.

Famalicão

Celebrações dos 50 anos do 25 de Abril em Famalicão

Celebrações de amanhã, quinta-feira, têm início às 10h. Na parte da tarde há um concerto de jazz nos Paços no Concelho.

Polícia Judiciária outra vez na Câmara de Famalicão para investigar viagens pagas a autarcas

O ex-autarca Paulo Cunha é um dos visados num caso de suspeitas de corrupção que envolve viagens à sede da Microsoft nos EUA. Câmara de Famalicão confirma investigações.

Feira apresenta aos alunos oferta formativa do ensino secundário

Evento destinado aos alunos do 9º ano foi realizado no CIIES, em Vale São Cosme.

Caminhos da Liberdade em Vila Nova de Famalicão

Locais onde se fez resistência à Ditadura Salazarista

Um novo ano se aproxima e a Humanidade continua perante desafios que parecem intransponíveis.

As alterações climáticas não vão desaparecer por um qualquer ato de magia, continuaremos a bater recordes de temperatura, o custo de vida irá continuar a subir, as movimentações de migrantes continuarão a aumentar, o fosso entre classes aumentará, mas, não se preocupem, a liderar pelo exemplo, o executivo da Câmara Municipal de Famalicão deu-nos a boa nova: uma nova rotunda e a artificialização de espaços verdes estão prestes a ocorrer – exatamente tudo aquilo de que a nossa cidade precisava! Só que não!

Diariamente, ouvimos nas notícias que ocorreu mais uma morte, mais um acidente, e ainda não se percebeu que não é uma rotunda que vai resolver o problema. Os caminhos ao longo do Pelhe vão sendo formatados e ainda não se percebeu que o rio é um esgoto. Os pobres, aquela classe que se empurra para a periferia da cidade, sem acesso a transportes ou oportunidades, continuam invisíveis aos senhores dos gabinetes do ar condicionado.

A construção elitista continua desenfreadamente a dar cartas à grande e à francesa, com a passadeira vermelha estendida pela maioria PSD/CDS, ou não fossem estes os grandes defensores da iniciativa privada. Os animais continuam enclausurados em jaulas 24h/dia, outros acorrentados, ao calor, ao frio, ainda abandonados em qualquer canto, mas importa ao executivo continuar com as mesmas políticas do século passado.

O nosso concelho está a ficar triste, cinzento, sem biodiversidade, repleto de armazéns industriais e saturado de automóveis. Mas, como sabem, os ditados populares existem por uma razão. Uns para servirem de aprendizagem sobre a própria evolução dos tempos, outros porque carregados de razão intemporal nos ensinam sobre as grandes questões da vida.

Assim, hoje, deixo este: “a esperança é a última a morrer”. Porque ainda existe algo pelo que vale a pena lutar.

O novo ano não pode ser mais do mesmo, os mesmos lamentos, as mesmas crises, os mesmos problemas. Para isso, precisamos de mais e melhor. Melhores decisores, para ver e fazer diferente, focando os reais problemas das pessoas.

As novas gerações precisam de nós, precisam das e dos ativistas famalicenses. E, se hoje somos meia dúzia, amanhã seremos uma dúzia e depois duas dúzias e iremos conseguir levar o nosso concelho a um patamar de excelência em matéria social, animal e ambiental.

Ano novo, vida nova…. Sim, é possível!

 

________________________________________________________________________

Os artigos de opinião publicados no Notícias de Famalicão são de exclusiva responsabilidade dos seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal.

Comentários

Sandra Pimenta
Residente em Ruivães, é uma defensora dos direitos humanos e ativista pelos animais e ambiente. Tornou-se vegetariana em 2005 e vegana em 2010. É porta-voz da comissão política concelhia de Famalicão do partido Pessoas Animais Natureza (PAN) e membro da comissão política distrital e nacional.