29.6 C
Vila Nova de Famalicão
Sexta-feira, 27 Maio 2022

Jorge Paulo Oliveira insiste na criação do subdestacamento territorial da GNR de Famalicão

O deputado voltou a defender a criação de um escalão eminentemente operacional daquela força em Famalicão e questionou o Ministro da Administração Interna sobre o Quartel da GNR de Riba de Ave.

2 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Famalicense António Cândido de Oliveira recebe Insígnia de Ouro na Galiza

A distinção da universidade galega reconhece o professor pelo seu trabalho no avanço do Direito Público e Administrativo.

Negócio polémico em Mouquim. Câmara paga 240 mil euros por terreno avaliado em 145 mil

Maioria PSD-CDS na Câmara de Famalicão aprovou pagar 240 mil euros por um terreno avaliado duas vezes e que técnicos municipais tinham avaliado por 145 mil. "Uma história mal contada", acusa o PS.

PSD-Famalicão. Sofia Fernandes lidera candidatos a delegados de Montenegro ao congresso nacional

Sofia Fernandes vai disputar os delegados do PSD famalicense com Jorge Moreira da Silva, que é candidato à liderança nacional do partido.

Engenho celebra 28º aniversário

Instituição está a desenvolver o projeto "Laços com Engenho/Compromisso com a Comunidade".

A criação do Destacamento Territorial de Vila nova de Famalicão “assumiu a forma de letra de lei, no dia 16 de dezembro de 2008, mas decorridos que estão 13 anos, nunca viu a luz do dia. A letra da lei, não passa, pois, de letra morta” recordou o social-democrata.

Sabemos bem que existem dificuldades para a criação desta estrutura, razão pela qual, há muito que defendemos em alternativa, uma solução intermédia, que passa não pela criação de um Destacamento, mas antes de um Subdestacamento Territorial, que igualmente permitiria a desvinculação dos três Postos dos Comandos Territoriais existentes no município (Joane, Riba de Ave e Famalicão), da tutela operacional do Destacamento de Barcelos.

Admitindo que “existem dificuldades para a criação desta estrutura” Jorge Paulo Oliveira defendeu perante o novo ministro da Administração Interna, José Luis Carneiro, uma solução intermédia que passaria “não pela criação de um Destacamento, mas antes de um Subdestacamento Territorial, que, igualmente, permitiria a desvinculação dos três Postos dos Comandos Territoriais existentes no município (Joane, Riba de Ave e Famalicão), da tutela operacional do Destacamento de Barcelos”.

Esta desvinculação, segundo Jorge Paulo Oliveira, possibilitaria igualmente, reforçar o quadro de efetivos e dotar o concelho de importantes unidades operacionais (Núcleo de Investigação Criminal ou o Núcleo de Proteção do Ambiente, “aproveitando-se este contexto para reabilitar o debilitado atual posto da GNR de Famalicão que, inexplicavelmente, não foi abrangido pela Lei de Programação de Infraestruturas e Equipamentos.

Esta não é a primeira vez que Jorge Paulo Oliveira desafia o Governo de António Costa a revelar a disponibilidade para a criação desta estrutura. O deputado aproveitou também a audição de especialidade do Orçamento do Estado para 2022 para questionar o Governo sobre o Quartel da GNR da Vila de Riba de Ave, instalado no rés-do-chão de um edifício habitacional arrendado.

“Senhor Ministro não sei se haverá muitos municípios a disponibilizar edifícios cujo valor patrimonial ascende a meio milhão de euros. O Governo vai ou não aproveitar esta oportunidade?” O ministro da Administração Interna, referiu que se essa obra não fora identificada, como não foi, pela Secretária de Estado, Isabel Oneto, que revelou aos deputados os investimentos previstos pelo governo, era porque o mesmo simplesmente não estava previsto.

No rol dos investimentos previstos, a Secretária de Estado da Administração Interna, deu conta de que a empreitada relativa à 2ª fase da requalificação da Esquadra da PSP de Vila Nova de Famalicão, no montante de 870 mil euros, estava em fase de lançamento.

A melhoria das instalações da esquadra da PSP foi tema da intervenção do outro deputado famalicense à Assembleia da República, Eduardo Oliveira. 

Comentários