14.4 C
Vila Nova de Famalicão
Segunda-feira, 1 Março 2021
Partilhar
  • 14
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    14
    Shares

Avepark recebe o supercomputador que mudará as empresas portuguesas

Desde 2019, Famalicão já tinha o "Bob". Agora Guimarães vai receber o "Deucalion", muito mais potente. Eis Portugal a dar passos mais rápidos na computação de alto desempenho, com competências para as empresas tirarem partido da supercomputação.

3 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Com menos casos de covid-19, Famalicão tem risco “moderado” de contágio

Segundo o relatório divulgado nesta segunda-feira, dia 1 de março, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), o número de casos de covid-19 em Vila Nova de Famalicão voltou a diminuir. O novo relatório dá conta de 230 novos casos por cem mil habitantes nos últimos 14 dias.

ACIF promove formação para desempregados

Estão abertas as inscrições abertas para o curso de Operador de Distribuição. As aulas serão realizadas em horários laboral.

Júlio Brandão, a livraria de Famalicão que o Estado Novo impediu que fosse editora

A vida da livraria Júlio Brandão foi breve e atribulada, mas intensa. Abalou o mercado livreiro português, pelo arrojo em editar livros políticos de autores marxistas e maoristas, considerados malditos pelo regime do Estado Novo. E abriu portas a jovens investigadores portugueses. Como José Pacheco Pereira.

Doze alunos de Famalicão seguem em frente no Concurso Nacional de Leitura

No total, foram apurados 12 vencedores, quatro por cada nível de ensino, que seguirão para a próxima fase do concurso.
Partilhar
  • 14
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    14
    Shares

Um consórcio liderado pela Fujitsu e a Atos ganhou um concurso da União Europeia para a instalação do novo supercomputador português Deucalion no AvePark – Parque de Ciência e Tecnologia, em Guimarães.

Com o Deucalion, Portugal dá início a uma nova fase na computação de alto desempenho, com um centro de competências para as empresas tirarem partido da supercomputação.

O agregado computacional pesa 26 toneladas e consome cerca de 1,7 MegaWatts, mas tem na capacidade de processamento a principal característica: 10 PetaFlops. O que significa que terá a capacidade para executar 10 mil biliões de instruções por segundo. A supermáquina implica um investimento de 20 milhões de euros.

O novo supercomputador tem uma capacidade de processamento 10 vezes maior que aquela que tem o Bob, o supercomputador cedido a Portugal pela Universidade do Texas, e que se encontra a operar em Oliveira Santa Maria, concelho de Famalicão, desde 2019, no Centro de Computação Avançada do Minho (MACC), fisicamente instalado no centro de dados da REN (Rede Eléctrica Nacional).

Supercomputador da Universidade do Texas instalado no centro de dados da REN, em Oliveira Santa Maria. Fotografia DR

Já o novo supercomputador Deucalion que a União Europeia instalará no Avepark, em Guimarães, vai dotar Portugal de capacidade computacional para o desenvolvimento de simulações em todas as áreas da ciência e investigação.

Neste processo, tem existido uma estreita colaboração da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) com a Câmara Municipal de Guimarães e a Universidade do Minho.

GUIMARÃES DÁ INSTALAÇÕES

A autarquia vimaranense já estabeleceu um memorando de entendimento com a Fundação para a Ciência e Tecnologia e a Universidade do Minho com vista à instalação do Centro de Computação Avançada do Minho no Avepark, que vai gerir o novo supercomputador, tendo já adquirido as instalações necessárias num espaço de cinco mil metros quadrados.

O supercomputador Deucalion chegará a Guimarães ao abrigo da Empresa Comum para a Computação Europeia de Alto Desempenho (EUROHPC), uma iniciativa da União Europeia criada em 2018 que visa tornar a Europa líder mundial no domínio da supercomputação.

O presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, destaca a afirmação de Guimarães na captação de investimento na área da ciência e investigação, com o objetivo de também apoiar as empresas na sua inovação.

“Este supercomputador insere-se no envolvimento de Portugal na estratégia europeia de computação avançada e permitirá apoiar empresas de diferentes dimensões a tirarem partido das simulações computacionais para experiências morosas, dispendiosas, devido aos limites físicos da realidade. Além disso, deverá ainda pautar-se pelo uso de unidades de produção de energia renovável, o que é de enorme relevância para o país e para Guimarães”, afirmou o autarca, em nota de imprensa divulgada este domingo, 14 de fevereiro.

Comentários