29.6 C
Vila Nova de Famalicão
Sexta-feira, 27 Maio 2022

CITEVE desenvolve novo camuflado utilizado pelas Forças Armadas

Criação de uma imagem comum para o uniforme operacional do Exército, da Marinha e da Força Aérea com uso de materiais inovadores.

1,5 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Famalicense António Cândido de Oliveira recebe Insígnia de Ouro na Galiza

A distinção da universidade galega reconhece o professor pelo seu trabalho no avanço do Direito Público e Administrativo.

Negócio polémico em Mouquim. Câmara paga 240 mil euros por terreno avaliado em 145 mil

Maioria PSD-CDS na Câmara de Famalicão aprovou pagar 240 mil euros por um terreno avaliado duas vezes e que técnicos municipais tinham avaliado por 145 mil. "Uma história mal contada", acusa o PS.

PSD-Famalicão. Sofia Fernandes lidera candidatos a delegados de Montenegro ao congresso nacional

Sofia Fernandes vai disputar os delegados do PSD famalicense com Jorge Moreira da Silva, que é candidato à liderança nacional do partido.

Engenho celebra 28º aniversário

Instituição está a desenvolver o projeto "Laços com Engenho/Compromisso com a Comunidade".

O Exército, a Marinha e a Força Aérea irão utilizar do novo padrão camuflado desenvolvido pelo Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário (CITEVE), com o apoio do Exército. A decisão foi tomada no Conselho de Chefes de Estado-Maior.

“Este padrão está já a ser utilizado pelo Exército, prevendo-se que seja implementada a sua utilização pela Marinha e pela Força Aérea de forma gradual e faseada, tendo em consideração as especificidades de cada ramo”, referem as Forças Armadas em comunicado, acrescentando que “esta decisão vai permitir a criação de uma imagem comum do uniforme operacional dos três ramos das Forças Armadas”.

O CITEVE desenvolveu o projeto “Adaptative Camouflage for the Soldier II”, com o apoio do Exército, “com vista a criar um equipamento que aumentasse o nível de camuflagem em combate, tendo recorrido a um conjunto de materiais inovadores”.

A adoção deste padrão de camuflado, “pelas especificações técnicas rigorosas que cumpre, garante uma maior proteção pela diminuição da possibilidade de deteção”.

Além disso, informam as Forças Armadas, este novo padrão foi desenvolvido para melhor se adequar aos diferentes ambientes internacionais em que as Forças Armadas atualmente operam, como é o caso, por exemplo, do Mali, do Iraque e da República Centro-Africana.

“Este projeto constituiu-se, desta forma, como mais uma forma de apoio das Forças Armadas ao desenvolvimento da indústria nacional, potenciando a investigação e, consequentemente, o fomento da economia”, refere o comunicado.

Comentários