6.3 C
Vila Nova de Famalicão
Terça-feira, 27 Fevereiro 2024

Eduardo Oliveira reforça apoio do Governo “para quem pretende ter filhos e não consegue”

"Até ao final do mês de março teremos a regulamentação acerca da gestação de substituição”, destacou o deputado.

2 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Rotary Club de Famalicão comemora o seu aniversário com a visita do governador

Clube famalicense comemora o 54 anos de existência.

MEDIUM comercializa 38 apartamentos junto ao Parque da Cidade da Póvoa de Varzim

Apartamentos deverão estar concluídos no final de 2025.

Agrupamento Terras do Ave reforça aposta na programação e robótica

Agrupamento tem escolas em 10 freguesias do concelho.

O deputado Eduardo Oliveira, membro da Comissão Parlamentar de Saúde, realizou uma intervenção na audição ao Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida que foi realizada na última quarta-feira, 8 de fevereiro.

“É vontade deste Governo manter as nossas maternidades abertas. Quando a oposição apontava o caminho para o encerramento de maternidades, tivemos mais uma prova de que o objetivo é melhorar as condições das nossas maternidades, garantindo segurança e saúde proximidade às nossas grávidas”, destacou Eduardo Oliveira a propósito dos cerca de 10 milhões de euros para requalificação das maternidades.

Eduardo Oliveira salientou que “as famílias estão no centro das atenções do Partido Socialista. É uma preocupação deste Governo melhorar as condições não só das maternidades, mas também poder garantir que os Centros de Procriação Medicamente Assistida funcionem e mantenham viva a esperança para as nossas mulheres e casais”.

O deputado citou como exemplo das preocupações do Governo a indicação dada pelo Ministro da Saúde de que “até ao final do mês de março teremos a regulamentação acerca da gestação de substituição”.

Eduardo Oliveira, que é enfermeiro especialista em saúde Materna e Obstetrícia, salientou que no exercício da sua profissão vivenciou “a felicidade de várias mulheres e casais pelo nascimento dos seus filhos, mas também o sofrimento de muitas mulheres e casais que pretendiam ter filhos e não conseguiam”.

“Sei e senti essa dor, porque para quem contacta com estes casais é difícil não sentir a sua dor”, destacou, acrescentando que é intenção do Governo “melhorar, acompanhar a evolução da ciência, e garantir a esperança às mulheres, casais e suas famílias”.

O deputado destacou ainda que apesar da sensibilidade governamental relativamente a este assunto, “todos sabemos que passamos nos últimos anos tempo difíceis na saúde, um exemplo disso foi o covid-19 que levou ao encerramento de alguns destes centros e o inevitável atraso nos melhoramentos nesta área, mas queremos melhorar”. Nesse sentido, Eduardo Oliveira questionou a Dra. Carla Rodrigues, presidente do Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida, acerca das dificuldades enfrentadas e quais as sugestões “para fazermos mais e melhor” por estes centros neste período pós-covid.

Comentários