23.7 C
Vila Nova de Famalicão
Quarta-feira, 5 Outubro 2022

Incêndios já consumiram 100 hectares de floresta famalicense este ano

A criação de uma equipa multidisciplinar de proteção e segurança foi aprovada na última reunião do executivo.

1 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Feira Grande de S. Miguel animou o centro da cidade

Certame dedicado às tradições famalicenses aconteceu no último fim de semana.

PAN preocupado com a qualidade das refeições escolares em Famalicão

Alergénios na sopa e a presença de dióxido de enxofre e sulfitos em algumas refeições são algumas das preocupações do PAN com as refeições nas escolas famalicenses.

GRACAFE promove 6ª Corrida Pedome / Oliveira Santa Maria

Evento terá lugar dia 22 de outubro. Além das corridas, será realizada uma caminhada solidária.

CIOR inicia ano letivo com várias dinâmicas no âmbito do programa europeu Erasmus+

Os estágios serão realizados em empresas e instituições parceiras da escola.

A criação de uma equipa multidisciplinar de proteção e segurança e um conjuntos de apoios às corporações de bombeiros do concelho foram alguns dos assuntos aprovados na última reunião do executivo no âmbito da proteção civil.

Nessa reunião, no período antes da ordem do dia, os vereadores do Partido Socialista na Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão quiseram saber qual o verdadeiro impacto dos incêndios florestais no concelho, em matéria de área ardida, mas o presidente da Câmara, Mário Passos, que é o responsável máximo da Proteção Civil local, ao ser questionado pelo vereador Sérgio Cortinhas, remeteu essas informações para as corporações de bombeiros.

O vereador do CDS/PP Ricardo Mendes, que é vice-presidente, interveio logo a seguir, informando os vereadores socialistas que no concelho de Famalicão já arderam este ano 100 hectares de floresta. Ou seja, ardeu no concelho de Famalicão uma área de floresta equivalente a 100 campos de futebol. Ou equivalente a três vezes a freguesia de Abade de Vermoim.

Sérgio Cortinhas também quis saber que meios humanos e logísticos é que a Câmara Municipal tem mobilizado no sentido de responder adequadamente a este problema, tendo Ricardo Mendes, vereador da Proteção Civil, referido que os meios humanos e logísticos são os necessários e adequados.

Comentários

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -