14.4 C
Vila Nova de Famalicão
Segunda-feira, 1 Março 2021
Partilhar
  • 163
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    163
    Shares

Mercado Municipal de Guimarães utiliza sacos feitos de amido e óleos vegetais

A Câmara de Guimarães começou a distribuir 75 mil sacos biodegradáveis aos comerciantes do mercado municipal. Objetivo: reduzir do uso de plástico no âmbito da estratégia para o desenvolvimento sustentável.

2 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Com menos casos de covid-19, Famalicão tem risco “moderado” de contágio

Segundo o relatório divulgado nesta segunda-feira, dia 1 de março, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), o número de casos de covid-19 em Vila Nova de Famalicão voltou a diminuir. O novo relatório dá conta de 230 novos casos por cem mil habitantes nos últimos 14 dias.

ACIF promove formação para desempregados

Estão abertas as inscrições abertas para o curso de Operador de Distribuição. As aulas serão realizadas em horários laboral.

Júlio Brandão, a livraria de Famalicão que o Estado Novo impediu que fosse editora

A vida da livraria Júlio Brandão foi breve e atribulada, mas intensa. Abalou o mercado livreiro português, pelo arrojo em editar livros políticos de autores marxistas e maoristas, considerados malditos pelo regime do Estado Novo. E abriu portas a jovens investigadores portugueses. Como José Pacheco Pereira.

Doze alunos de Famalicão seguem em frente no Concurso Nacional de Leitura

No total, foram apurados 12 vencedores, quatro por cada nível de ensino, que seguirão para a próxima fase do concurso.
Partilhar
  • 163
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    163
    Shares

Os comerciantes do Mercado Municipal de Guimarães começaram a entregar os seus produtos alimentares em sacos compostáveis produzidos a partir de amido e óleos vegetais.

A iniciativa da Câmara Municipal de Guimarães, que começou esta sexta-feira, 5 de fevereiro, com a distribuição de 75 mil sacos, visa a redução do uso de plástico no âmbito da estratégia para o desenvolvimento sustentável.

A novidade insere-se numa campanha denominada “Mercado sem Plástico”, desenvolvida pelo Município de Guimarães e pelo Laboratório da Paisagem de Guimarães – Associação para a Promoção do Desenvolvimento Sustentável.

O Laboratório da Paisagem de Guimarães integra a Universidade do Minho, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e a autarquia vimaranense.

Para além da redução de plástico os munícipes são desafiados a reutilizar os sacos em suas casas visando a colocação do lixo orgânico e doméstico, numa perspetiva de economia circular.

“Este é um compromisso que Guimarães mantém firme na vertente da sustentabilidade ambiental, apresentando iniciativas em concreto e que visam contribuir para a redução do plástico além de um apoio aos comerciantes do mercado”, salientou Domingos Bragança, presidente da Câmara vimaranense.

Os sacos têm uma duração de cerca de 12 meses e o objetivo da campanha é acabar com o uso de plástico num local onde há uma enorme utilização.

Com o mesmo objetivo continuaram a ser distribuídos milhares de saco de pano no Mercado Municipal de Guimarães.

Trata-se de uma medida iniciada em 2020 para que os clientes do mercado continuem o hábito da reutilização dos sacos das compras, e ao mesmo tempo promovam a compra no mercado vimaranense.

A redução da utilização do plástico do mercado municipal vimaranense insere-se na estratégia de Câmara Municipal de Guimarães para o desenvolvimento sustentável.

Comentários