14.4 C
Vila Nova de Famalicão
Domingo, 9 Maio 2021
Partilhar
  • 10
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    10
    Shares

Pandemia reduziu em 75% os peregrinos de Santiago a partir de Braga

Em 2020 o número de peregrinos a percorrer o caminho entre Braga e Santiago de Compostela diminuiu 75,4% em comparação com o ano de 2019. Um terço dos peregrinos que partiu de Braga seguiu o Caminho da Geira, um itinerário com 240 quilómetros. As informações foram divulgadas hoje pela Catedral de Santiago, em Espanha.

3 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Tabu desfeito. Paulo Cunha não é candidato e deixa Famalicão em Outubro

A decisão do autarca foi oficializada esta semana numa reunião com os vereadores da coligação PSD-CDS.

Famalicão. Grupo Eco-Trocas dá vida nova a artigos excedentes e em desuso

O grupo tem como missão incentivar o aproveitamento de recursos e contribuir para a diminuição de desperdícios.

Eduardo Oliveira e as Antoninas: “Manda a prudência que se fale claro aos famalicenses”

A Câmara de Famalicão anunciou o regresso das Antoninas. Mas estamos em estado de calamidade que impõe muitas restrições. A polémica está instalada. O líder do PS lança várias questões à Câmara Municipal. Paulo Cunha acusa-o de ser eleitoralista.

Deputada do PCP no Parlamento Europeu visita a Associação de Moradores das Lameiras

Sandra Pereira elogiou o trabalho da instituição que considera "ser uma referência nacional".
Partilhar
  • 10
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    10
    Shares

O Caminho da Geira e dos Arrieiros foi o itinerário escolhido por mais de um terço dos peregrinos que em 2020 partiram de Braga ncom destino a Santiago de Compostela.

O grande impacto da pandemia no fluxo de pessoas, que caiu 75,4% na capital do Minho em relação a 2019, está bem patente nos dados revelados esta terça-feira, dia 5, pelo gabinete de imprensa da Catedral de Santiago.

A Compostela – documento comprovativo do cumprimento da jornada – foi entregue a 193 peregrinos que iniciaram a jornada em Braga, nos dez meses com registos (suspensos em abril e maio), 72 dos quais percorreram o Caminho da Geira e dos Arrieiros (37,3%).

Este itinerário, que liga Braga a Santiago de Compostela na distância de 240 quilómetros, foi percorrido por 99 peregrinos, uma descida de 73% em comparação com 2019. Além da capital do Minho, as estatísticas registam como pontos de partida Cortegada (6), Ribadavia (5), Lóbios (3), Terras do Bouro (1) e “outros locais de Portugal” (12).

O gabinete de imprensa da Catedral de Santiago revelou ainda que “desde Braga, por outros caminhos”, chegaram 94 peregrinos à capital da Galiza.

Apesar da grande diminuição verificada na frequência dos percursos iniciados em Braga, ela é, mesmo assim, inferior à média geral, que caiu de 347.578 Compostelas emitidas em 2019 para 53.799 no ano passado (-84,5%).

Em 2019 iniciaram em Braga os diferentes caminhos 786 pessoas, mais 192 (32,3%) do que no ano anterior. O Caminho da Geira e dos Arrieiros contribuiu de forma decisiva para a subida então registada, com a atribuição de Compostelas a 367 peregrinos em 10 meses.

Além dos peregrinos que receberam a Compostela (e, como tal, entraram nas estatísticas), as associações que promovem e valorizam este caminho estimam que muitos outros o percorreram, num total de mil pessoas desde 1 de abril de 2017, data em que foi apresentado em Braga.

Os portugueses constituem o maior grupo, representando 80% dos peregrinos. Há também registo da passagem de italianos, suíços, franceses, brasileiros, polacos e holandeses.

CAMINHO DA GEIRA E DOS ARRIEIROS

O Caminho da Geira e dos Arrieiros foi reconhecido pela Igreja Católica a 28 de março de 2019, quando o delegado de peregrinações do cabido da Catedral de Santiago, o deão Segundo L. Pérez López, assinou um certificado onde refere que o traçado cumpre “as condições de outros caminhos de peregrinação e por isso concede a Compostela a quem o percorrer”.