14.4 C
Vila Nova de Famalicão
Segunda-feira, 1 Março 2021
Partilhar
  • 20
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    20
    Shares

Portugal participa em projeto europeu para preparar resposta a futuras pandemias

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, a Direção-Geral da Saúde e o Instituto Nacional de Emergência Médica são as instituições portuguesas participantes.

2 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

ACIF promove formação para desempregados

Estão abertas as inscrições abertas para o curso de Operador de Distribuição. As aulas serão realizadas em horários laboral.

Júlio Brandão, a livraria de Famalicão que o Estado Novo impediu que fosse editora

A vida da livraria Júlio Brandão foi breve e atribulada, mas intensa. Abalou o mercado livreiro português, pelo arrojo em editar livros políticos de autores marxistas e maoristas, considerados malditos pelo regime do Estado Novo. E abriu portas a jovens investigadores portugueses. Como José Pacheco Pereira.

Doze alunos de Famalicão seguem em frente no Concurso Nacional de Leitura

No total, foram apurados 12 vencedores, quatro por cada nível de ensino, que seguirão para a próxima fase do concurso.

NOTÍCIAS DE FAMALICÃO lança “Diálogos Autárquicos” em cartoon

O NOTÍCIAS DE FAMALICÃO dá mais um pequeno passo na diversificação dos seus conteúdos.
Partilhar
  • 20
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    20
    Shares

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), a Direção-Geral da Saúde (DGS) e o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) vão trabalhar num projeto europeu (PANDEM-2), que tem início este mês, com o objetivo de desenvolver processos e sistemas de informação para melhorar a preparação e resposta da União Europeia a futuras pandemias.

As novas soluções desenvolvidas no âmbito do PANDEM-2 vão permitir simular múltiplos cenários e respostas possíveis, bem como formar gestores pandémicos a uma escala nacional e europeia.

Por outro lado, as ferramentas desenvolvidas vão também permitir melhorar o planeamento e a gestão de recursos essenciais, como camas de internamento, equipamentos de proteção individual (EPI) e vacinas.

Estas soluções permitirão uma resposta coerente e eficaz a uma próxima pandemia.

O aumento populacional, as viagens internacionais e os fatores ambientais aumentam a possibilidade de transmissão de doenças de animais para humanos.

Perante estas ameaças, a União Europeia pretende desenvolver soluções de partilha de informação e promover a adoção de políticas e abordagens conjuntas entre os Estados-membros e as Agências.

O papel do INSA e da DGS no projeto será principalmente na área dos sistemas de vigilância, do desenho da resposta pandémica e da formação e disseminação das soluções desenvolvidas.

Caberá ao INEM participar nas diversas fases deste projeto, nomeadamente no planeamento, implementação, simulação e treino de algumas das ferramentas desenvolvidas, contribuindo desta forma para a otimização da preparação e resposta a eventos pandémicos futuros.

Liderado pela Universidade Nacional da Irlanda (Galway), o consórcio PANDEM reúne líderes europeus das áreas da saúde, segurança, defesa, microbiologia, comunicação, tecnologias da informação e gestão de emergência, assegurando que a ciência mais moderna serve os interesses da prestação de cuidados, do governo e da sociedade. Entre os membros do Advisory Board contam-se a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doença (ECDC).

Com um financiamento total de 9.75 milhões de euros, através do programa Horizonte 2020 da União Europeia para a investigação e inovação, o PANDEM-2 terá a duração de 24 meses.

Comentários