23.7 C
Vila Nova de Famalicão
Quarta-feira, 5 Outubro 2022

Ricardo Mendes sucede a Nuno Melo na presidência da distrital do CDS-PP

Ato eleitoral foi realizado no último fim de semana.

1 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Feira Grande de S. Miguel animou o centro da cidade

Certame dedicado às tradições famalicenses aconteceu no último fim de semana.

PAN preocupado com a qualidade das refeições escolares em Famalicão

Alergénios na sopa e a presença de dióxido de enxofre e sulfitos em algumas refeições são algumas das preocupações do PAN com as refeições nas escolas famalicenses.

GRACAFE promove 6ª Corrida Pedome / Oliveira Santa Maria

Evento terá lugar dia 22 de outubro. Além das corridas, será realizada uma caminhada solidária.

CIOR inicia ano letivo com várias dinâmicas no âmbito do programa europeu Erasmus+

Os estágios serão realizados em empresas e instituições parceiras da escola.

Ricardo Mendes foi eleito presidente da estrutura Distrital do CDS-PP, nas eleições realizadas no último fim-de-semana. Recorde-se que Ricardo Mendes era o líder da concelhia famalicense, que também foi a votos no passado fim de semana, tendo sido eleito como novo presidente Hélder Pereira. [ver aqui Hélder Pereira eleito líder do CDS-PP em Famalicão].

O novo líder distrital é o vice-presidente da Câmara Municipal de Famalicão, onde exerce funções de vereador desde 2005. Hélder Pereira também é vereador na Câmara de Famalicão.

Apenas uma única lista foi a votos. Além de Ricardo Mendes, foram eleitos Altino Bessa como presidente da Mesa da Assembleia Distrital e Daniela Mendes Silva como presidente do Conselho distrital de Jurisdição.

Ricardo Mendes, que sucede a Nuno Melo na liderança da distrital, quer “restruturar os órgãos distritais, motivar as estruturas concelhias e regenerar a confiança dos militantes no CDS-PP”.

Após eleito o novo presidente apelou a um “esforço conjunto de todas as estruturas concelhias – e por isso reunimos gente das diferentes concelhias nestes órgãos agora eleitos – para que sejamos capazes de devolver a confiança ao eleitorado, já nas próximas eleições europeias, primeiro passo para restituir o CDS-PP à Assembleia da República”.

Como primeira medida Ricardo Mendes anuncia um périplo pelo distrito e pelas estruturas concelhias, um trabalho de base para “motivar e restruturar para os desafios que se apresentam ao partido e ao país nos próximos tempos”.

Os novos órgãos distritais do CDS-PP tem pela frente um mandato de dois anos.

Comentários

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -