19 C
Vila Nova de Famalicão
Segunda-feira, 21 Junho 2021
Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Ministério da Saúde investiga destruição de milhares de vacinas em Famalicão

No Centro de Vacinação de Famalicão milhares de doses de vacina da Astrazeneca e Pfizer ficaram inutilizadas por causa de um problema elétrico ainda não identificado. Um inquérito irá apurar as responsabilidades.

1 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Candidato Mário Passos manipula os milhões de Bruxelas e ilude os famalicenses

A Câmara de Famalicão captou apenas 7,9% dos 354 milhões que Bruxelas aprovou para o território do concelho nos últimos 8 anos. Mas o candidato Mário Passos (PSD-CDS) manipula os números e ilude os famalicenses dizendo que todos os milhões são devidos à ação da autarquia. O NOTÍCIAS DE FAMALICÃO apurou a verdade e revela a lista oficial dos projetos municipais aprovados em Bruxelas.

Mais enfermeiros no centro de vacinação de Famalicão

24 enfermeiros reforçam equipa no centro de vacinação até ao final de julho.

Paulo Costa é o candidato do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal

Deputado municipal concorre à presidência da Câmara. Catarina Ferraz encabeça a lista à Assembleia Municipal.

Agostinho Fernandes quer Eduardo Oliveira a “virar a página de Famalicão”

“Servir as pessoas é a verdadeira essência da política. Estou aqui para servir os famalicenses”, enfatizou Eduardo Oliveira na apresentação do mandatário e de todos os candidatos a vereadores.
Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Milhares de vacinas contra a covid-19 ficaram inutilizadas no Centro de Vacinação de Vila Nova de Famalicão, a funcionar em Vale S. Cosme, nas antigas instalações da Escola Didáxis, que agora são propriedade municipal.

O presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, fala em 3.500 vacinas perdidas, mas o secretário de Estado Adjunto e da Saúde refere que foram cerca de 5.000 vacinas. São milhares de vacinas destruídas. E o Ministério da Saúde já abriu um inquérito para apurar as responsabilidades sobre o ocorrido.

Paulo Cunha em declarações aos jornalistas num direto da CMTV. Fotografia DR

As vacinas, que necessitam de um sistema de refrigeração, ficaram inutilizadas devido uma interrupção de energia elétrica que se verificou apenas no local onde estavam armazenadas e não em todo o edifício. Eram vacinas da AstraZeneca e da Pfizer. A falha de energia aconteceu entre as 22h45 da noite de ontem, 20 de abril, e as 8h00 da manhã desta quarta-feira, dia 21.

O centro de vacinação funciona num edifício disponibilizado pela Câmara Municipal. Em declarações à comunicação social, Paulo Cunha disse que “a falha energética foi circunscrita ao espaço onde está a funcionar a vacinação e, inclusivamente, onde estão armazenadas as vacinas”, acrescentando que “quem está no exterior da sala não tem nenhum sinal do que está a acontecer”.

Nesta quarta-feira, o Centro de Vacinação de Famalicão abriu as portas às 10h00 e, de acordo com informações da Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte, desde então já vacinou cerca de 300 pessoas.

Devido à inutilização de milhares de doses, o centro de vacinação precisou de receber vacinas vindas de outros agrupamentos de centro de saúde como, por exemplo, de Braga.

Comentários