11.9 C
Vila Nova de Famalicão
Terça-feira, 29 Novembro 2022

PAN preocupado com a qualidade das refeições escolares em Famalicão

Alergénios na sopa e a presença de dióxido de enxofre e sulfitos em algumas refeições são algumas das preocupações do PAN com as refeições nas escolas famalicenses.

1 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Centro de apoio comunitário da Engenho vai passar por obras de requalificação

Associação aprovou o plano de atividades e orçamento para 2023

Chega promove palestra com Gonçalo Sousa

Evento será realizado no dia 1 de dezembro.

Campanha de Natal é promovida pela Câmara Municipal e Associação Comercial e Industrial de Famalicão

A chegada do Pai Natal está marcada para a tarde do dia 11 de dezembro.

PAN questiona Tratave e Câmara de Famalicão sobre descargas para rio Ave em Pedome

Partido acusa Câmara de Famalicão de "demitir-se da sua função de gerir o bem comum".

O PAN solicitou à Câmara Municipal esclarecimentos sobre os critérios de adjudicação para fornecimento de refeições escolares. O partido refere que “no passado, o único critério foi o preço” e lembra que o concurso público deve considerar outros fatores como “a qualidade ou critérios ambientais”.

“De que adianta fazer propaganda aos quase 4 milhões de euros destinados às refeições, se coisas basilares como critérios de qualidade e ambientais não estão estipulados no concurso?” questiona Sandra Pimenta.

Após informação remetida pelo executivo municipal, o PAN verificou que “continua a decidir-se, apenas, pelo critério preço” e endereçou um novo conjunto de questões com vista a obter esclarecimentos sobre os motivos que fundamentam a escolha por critérios exclusivamente económicos na adjudicação do serviço a empresa externa.

Da análise às ementas, “preocupa” ao partido saber “qual o motivo para a presença de dióxido de enxofre e sulfitos em algumas refeições”, assim como “o motivo para se identificar a presença ou potencial presença de tantos alergénios na sopa”. O PAN também quer saber as razões para que a opção vegetariana nas visitas de estudo ou atividades fora do recinto escolar, não esteja, obrigatoriamente, incluída no caderno de encargos.

Sandra Pimenta salienta que a autarquia “deve pautar-se por uma defesa integral da saúde das pessoas, em especial das crianças, promovendo hábitos alimentares mais saudáveis, aliado ao incentivo do consumo de alimentos de produção local e regional e em modo biológico, contribuindo-se assim, igualmente, para uma redução da pegada ecológica e um consumo mais sustentável e que isso só poderá ser garantido através da inclusão desses critérios no contrato de adjudicação”.

Comentários