7.9 C
Vila Nova de Famalicão
Terça-feira, 27 Fevereiro 2024
Carlos Folhadela Simões
Formado em Ciências Farmacêuticas, é professor do Ensino Secundário. Cidadão atento e dirigente associativo.

Pode o açúcar dar prisão?

Olhares sobre alguns temas da atualidade.

4 min de leitura
- Publicidade -
Carlos Folhadela Simões
Formado em Ciências Farmacêuticas, é professor do Ensino Secundário. Cidadão atento e dirigente associativo.

Famalicão

Rotary Club de Famalicão comemora o seu aniversário com a visita do governador

Clube famalicense comemora o 54 anos de existência.

MEDIUM comercializa 38 apartamentos junto ao Parque da Cidade da Póvoa de Varzim

Apartamentos deverão estar concluídos no final de 2025.

Agrupamento Terras do Ave reforça aposta na programação e robótica

Agrupamento tem escolas em 10 freguesias do concelho.

1. A CNN, na senda da novidade e impacto informativo, estreou um programa pseudoinformativo, denominado Town Hall – Estado da Nação, cujo desidrato era varrer todas as áreas da governação, antes do debate parlamentar com a mesma designação. O canal propunha e anunciava uma discussão e análise profunda dos vários setores que condicionam e regulam a vida dos portugueses. Afinal, aquilo que era apresentado como “taunol” (infelicidade da pronúncia da jornalista) não passou de um desfile de ministros, aos três de cada vez, com questões colocadas por alunos, professores e outros convidados presentes nas três universidades onde se realizaram as sessões. O que desejavelmente deveria ser esclarecedor, estimulante e clarificador, limitou-se globalmente a momentos desinteressantes, monótonos e propagandísticos!

Das sessões transmitidas, retive aquela em que esteve presente a ministra da Justiça, Catarina Sarmento e Castro, que referiu a propósito da morosidade dos processos judiciais, a importância da inauguração, ocorrida alguns dias antes, do Laboratório de Polícia Científica da Polícia Judiciária (PJ), no Funchal. E esta é de facto uma boa notícia para todos aqueles que estando inocentes se possam ver dependentes da celeridade das análises laboratoriais. Lembre-se o caso caricato, ocorrido a meados do ano transato, em que um cidadão foi intercetado por uma patrulha da GNR, que aprendeu uma quantidade de pó branco, embrulhado em papel de prata e localizado no porta-luvas. O condutor afirmava ser açúcar, para combater crises hipoglicémicas, já que era diabético. A patrulha resolveu solicitar um teste rápido numa farmácia local, cujo resultado terá sido positivo para o “teste de estupefacientes”. Análise para cá e contra-análise para lá, o que é facto é que o homem se encontrava detido desde maio de 22. As análises do laboratório científico da PJ revelaram, meses depois, que não se tratava de droga, nem de uma substância ilícita; não era o famoso “pó branco” que deu à costa em Rabo de Peixe, mas tão só o “pó branco” que todos usamos com frequência no quotidiano, a sacarose, vulgo açúcar.

Oito meses, para obter uma prova destas, é demasiado tempo!

2. Disputaram-se as eleições em Espanha e o cenário político não ficou clarificado. O PP venceu, mas ainda não conseguiu reunir as condições para Alberto Núñez Feijóo poder ser investido. Pedro Sánchez, líder do PSOE, tenta agregar apoios para se manter no poder e na governação. Para isso deverá ter de contar com o apoio do partido independentista Junts per Catalunya (“Juntos pela Catalunha”), cujo líder, Carles Puigdemont, vive exilado na Bélgica.

Isabel Díaz Ayuso, a presidente da Comunidade de Madrid (PP), no início do ano dizia acreditar que o independentismo catalão pudesse estar mais tranquilo porque Sánchez lhe estava a dar mais dinheiro, mas que isso não era acabar com o problema. O que poderá acontecer caso lhes dê agora mais poder?

O reacender das causas independentistas poderá um rude golpe na estabilidade e na coesão espanholas.

Face à reafirmação do Socialistas em não viabilizarem um governo minoritário dos Populares, confirmar-se-ão novas eleições lá para o Natal?

3.Famalicão tem patente no centro urbano uma exposição intitulada “Fio Condutor”, da autoria de Madalena Martins, que remete para o universo têxtil concelhio. Com cerca de três toneladas de fio têxtil proveniente da tecelagem da Riopele, a instalação artística deixa, forçosamente curiosos, todos quantos a veem. Normal quer pela novidade, quer pela falta de informação. Estas iniciativas deviam e podiam ter painéis explicativos e informativos! Prevendo-se que esteja patente até outubro, ainda se vai a tempo de prestar a adequada informação aos transeuntes.

4. Mais uma jornada gloriosa para a natação portuguesa. Diogo Ribeiro conquista, pela primeira vez um pódio, num campeonato do Mundo. A prova de 50 metros mariposa, de que é recordista mundial júnior, que lamentavelmente não teve honras de transmissão televisiva, pese o facto de um canal o ter anunciado, (re) confirma todo o potencial deste jovem de 18 anos. Como bem refere o seu treinador Alberto Silva, “ele não é o segundo Phelps, é o primeiro Diogo”. Paris 2024 aguarda este prodígio da natação nacional!

5. Telma Encarnação e Kika Nazareth, duas das navegadoras a disputar o mundial feminino de futebol, ficarão com os seus nomes escritos para sempre nos anais do desporto português. A madeirense por ter marcado o 1º golo de sempre de uma portuguesa num mundial. A segunda por se ter tornado a jogadora mais jovem de sempre a marcar num Mundial (masculino e feminino) por Portugal.

6. Recordes atrás de recordes estão a ser batidas as temperaturas no planeta. Infelizmente estes valores são e serão motivo de preocupação e não de regozijo. Ao que consta, começa a ser explorado um novo filão no turismo: o de visitar essas regiões de temperaturas extremas. No Vale da Morte, na Califórnia, os valores registados atingiram os 56ºC, o que levou vários turistas a posarem junto do termómetro do Death Valley National Park, à semelhança do que fazem atletas no atletismo, junto ao quadro eletrónico, quando superam marcas mundiais.

 

________________________________________________________________________

Os artigos de opinião publicados no Notícias de Famalicão são de exclusiva responsabilidade dos seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal.

Comentários