18.8 C
Vila Nova de Famalicão
Terça-feira, 9 Agosto 2022

Agora vale a pena chorar: morreu Tibi, antigo guarda-redes do FC Famalicão

Vítima de doença degenerativa, Tibi, antigo guarda-redes do FC Famalicão, morreu aos 70 anos. O guardião ficou conhecido dos portugueses no FC Porto.

2 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Município de Famalicão não respondeu ao Tribunal de Contas

O Tribunal de Contas citou o Município de Famalicão e Paulo Cunha. Apenas o ex-autarca respondeu.

Deputada do PSD com avença na Câmara de Famalicão demite-se e passa ao quadro da autarquia

Ex-deputada municipal, que foi também candidata a vereadora nas últimas eleições, responde por vários crimes e aguarda julgamento.

Câmara de Famalicão cria equipa para acompanhar alterações climáticas

Equipa tem como função o acompanhamento da política climática.

FAMAFOLK foi “um sucesso”

Quase 5000 pessoas passaram pelo festival.

Faleceu Tibi, antigo guarda-redes do FC Famalicão, na sua segunda passagem pelo Campeonato Nacional da I Divisão, em 1978-1979.

“O Futebol Clube de Famalicão “manifesta o mais profundo pesar pelo falecimento de Tibi, que defendeu a baliza da nossa equipa na temporada 1978/79, que marcou o regresso do clube à I Divisão”, afirma o clube famalicense numa nota de pesar publicada no site do clube, sem fotografia do atleta.

Emprestado pelo FC Porto para jogar uma temporada, o antigo guarda-redes internacional português cumpriu mais de 30 jogos com a camisola do Futebol Clube de Famalicão. No final da época a equipa famalicense voltou a cair à II Divisão (Zona Norte).

Nessa temporada de 1978-1979, o FC Famalicão fez furor na Taça de Portugal, tendo tombado somente em Alvalade, frente ao Sporting Clube de Portugal, nos quartos-de-final, perdendo por 2-0.

No FC Famalicão, Tibi teve como companheiros, entre outros, o médio Vítor Oliveira e o avançado Jacques Pereira, igualmente já falecidos.

“NÃO VALE A PENA CHORAR…”

“Está lá dentro, Tibi, não vale a pena chorar.” Quem ainda se lembra dos relatos de futebol dos anos setenta e oitenta do século passado recorda-se bem desta frase, sempre que o guarda-redes Tibi sofria um golo em jogos relatados por Gomes Amaro, um narrador português, de Celorico da Beira, que tinha sotaque brasileiro por ter ido viver para o Brasil com apenas 3 anos de idade.

Hoje, quatro décadas depois, quem conheceu Tibi, nomeadamente nas balizas do FC Famalicão e do FC Porto, chora a sua morte, aos 70 anos de idade.

Tibi, que chegou a vestir a camisola das seleções de Portugal, foi vítima de doença prolongada de natureza degenerativa, segundo informou o FC Porto.

“Faleceu, durante a manhã desta terça-feira, Tibi. O antigo guardião internacional português, que defendeu as redes portistas em mais de uma centena de ocasiões, sucumbiu a doença degenerativa aos 70 anos”, anunciaram os ‘dragões’.

Tibi, o segundo a contar da esquerda, em pé, nesta fotografia di plantel famalicense da temporada 1978-1979.

Por sua vez, o Leixões, onde Tibi fez a sua formação, assumiu estar “de luto” pelo falecimento do seu antigo guarda-redes, “vítima de doença prolongada”.

O FC Porto refere que Tibi “passou de imprescindível para Béla Guttmann a cedido por José Maria Pedroto, o treinador que promoveu a sua estreia na seleção nacional em Berna, frente à Suíça”.

Tibi, o guarda-redes do FC Famalicão na temporada primodivisionária de 1978-1979. Fotografia ARQUIVO

Tibi começou a carreira no Leixões e passou pelo FC Porto, onde fez a maior parte da sua carreira, intercalada pelos empréstimos a Varzim e Famalicão, representando ainda Águeda, Mangualde, Sporting de Espinho, Maia e Vila Nova de Foz Coa.

O guarda-redes foi duas vezes internacional por Portugal, uma pela seleção B e seis pelos sub-21.

Comentários