Ana Mendes, uma das melhores professoras do país: “Todos os alunos são especiais.”

Uma das melhores professoras do país trabalha em Vila Nova de Famalicão, na Escola Básica 2.3 Júlio Brandão. Em entrevista ao NOTÍCIAS DE FAMALICÃO, a professora Ana Mendes fala sobre a sua nomeação para o prémio de melhor professora portuguesa, dos projetos educativos que desenvolve e explica como é que consegue agarrar a atenção e o interesse dos alunos na sala de aula.

0
855
Ana Mendes, professora da Escola Básica 2.3 Júlio Brandão, é uma das melhores do país a ensinar. Fotografia DR
Partilhar
  • 323
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    323
    Shares
Uma das melhores professoras do país trabalha em Vila Nova de Famalicão. Ana Mendes, professora na Escola Básica EB 2,3 Júlio Brandão. do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, de Vila Nova de Famalicão, foi uma das 6 finalistas da 3ª edição do Global Teacher Prize Portugal 2020 – prémio que distingue o melhor professor do país – e foi distinguida com a menção honrosa da Sustentabilidade Social atribuída pela fundação Galp no valor de 5000€. A professora, com 26 anos de serviço educativo, tem a seu cargo a disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC), sendo coordenadora do grupo disciplinar. Entre outras atividades extracurriculares, também dá aulas na área da sustentabilidade, nomeadamente, Educação Ambiental aos alunos de educação especial. Em entrevista ao NOTÍCIAS DE FAMALICÃO, a professora Ana Mendes fala sobre a sua nomeação para o prémio de melhor professora portuguesa, dos projetos educativos que desenvolve e explica como é que consegue agarrar a atenção e o interesse dos alunos na sala de aula. Pelo meio, Ana Mendes conta muitas histórias curiosas que fizeram dela uma mulher que aprendeu a viver com pouco. E recorda por que é que foi parar a um bairro de lata de Lisboa, onde viveu algum tempo.

“Ensinar é uma paixão. É uma missão. Faz parte de mim. É um modo de ser e de estar. A forma como comunico, os laços empáticos que estabeleço com os alunos são o ponto de partida para estimular as aprendizagens e despertar o potencial de cada aluno.”

NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – Quando decidiu que queria ser professora? ANA MENDES – Não houve um momento exato. Foram muitas experiências e influências positivas, sobretudo no meu percurso escolar. A minha família sempre me motivou a estudar e fascinava-me ouvir as histórias de família em que os meus bisavós já sabiam ler e escrever e da importância que davam à educação. Um dos momentos que me marcou foi ter privado com a minha professora de Educação Moral e Religião Católica, no secundário. NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – É docente há 26 anos. Há quanto tempo dá aulas no agrupamento Camilo Castelo Branco? ANA MENDES – Iniciei a profissão docente em Braga. Inicialmente, comecei por dar aulas na escola pública e privada em regime de acumulação, nomeadamente no colégio D. Diogo de Sousa. Estou em Vila Nova de Famalicão há 20 anos, na Escola Básica EB 2,3 Júlio Brandão. NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – Complete a frase: “Ensinar é…” ANA MENDES – Ensinar é uma paixão. É uma missão. Faz parte de mim. É um modo de ser e de estar. A forma como comunico, os laços empáticos que estabeleço com os alunos são o ponto de partida para estimular as aprendizagens e despertar o potencial de cada aluno. O estabelecimento das relações humanas é uma prioridade e quando essa relação afetiva e inclusiva está estabelecida, então podemos trabalhar com motivação e confiança. Ensinar é quando trabalho com dedicação e me entrego de alma e coração e quando abraço os desafios de projetos e concursos que vão surgindo. É quando saio da minha zona de conforto e arrisco a dar um passo em frente utilizando metodologias inovadoras e dinâmicas com aprendizagens contextualizadas, ativas e significativas, que requerem um conhecimento multidisciplinar e onde todas as áreas do conhecimento estão interligadas, com recurso às novas tecnologias de informação e comunicação e das ferramentas digitais Web2.0. Ter a consciência plena do impacto positivo, que tenho na vida dos meus alunos permite-me ter, sempre, presente esta frase: “Hoje ajudei ou inspirei alguém?”

“Não são só os professores que deixam marcas, os alunos também. Guardo muitos sorrisos de muitos rostos cheios de vida que me enchem a alma.”

NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – Enquanto aluna, com quem teve boas experiências? ANA MENDES – Quando penso no passado e recordo o caminho que me trouxe até aqui, guardo nas minhas memórias boas recordações e boas experiências. Professores excelentes que tiveram influência nas minhas decisões futuras pela postura sempre correta e justa de resolver certas situações mais complicadas, pelo rigor e amizade com que nos tratavam e por nos orientarem no estudo, nos incentivarem a participar em eventos escolares, torneios de basquetebol, visitas de estudo e em projetos ligados ao teatro. Uma das professoras que me deixa muita saudade foi a minha professora primária pela sua capacidade de nos integrar e pôr a trabalhar e pela sua ternura. Tinha sempre uma palavra amiga e não havia um aniversário em que não faltava uma prenda personalizada. NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – Em 26 anos como professora, certamente tem na memória alunos que deixaram marcas. ANA MENDES – Todos os alunos são especiais e recordo-os com saudade. Não são só os professores que deixam marcas, os alunos também. Lembro-me de um aluno, há cerca de 5 anos, que me apresentou uma ferramenta digital inovadora que eu não conhecia, a plataforma Prezzi, quando apresentava o seu trabalho numa aula de 5º ano e como fiquei fascinada por aquela novidade ou, há uns anos atrás, a organização e estima do caderno diário, que continha as aulas desde o 5º ao 9º ano e a maneira de ser delicada e educada de uma aluna ou, ainda, no meu intervalo, depois de uma aula, continuar a conversar com duas alunas sobre os problemas da vida e como os superar e como nos intervalos, quando me via, corria para mim, para me dar um abraço. Guardo muitos sorrisos de muitos rostos cheios de vida que me enchem a alma.

“Aos 19 anos vivi num bairro de lata em Lisboa durante 15 dias, porque uma das minhas tias era freira e eu pedi-lhe muito que queria saber como era viver num sítio assim. Nunca mais vou esquecer as sensações que tive.”

NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – Já viveu experiências memoráveis. Gostaríamos de ouvir algumas dessas histórias. ANA MENDES – Vou contar algumas histórias, muito brevemente, que me marcaram antes de ser professora e que contribuíram para ser quem sou e sei que são essas experiências que, ainda hoje, me acompanham e fazem parte de mim e me ajudam a ser uma professora mais empática. Aos 16 anos estava em Carcavelos numa colónia de férias a tomar conta de crianças. Aos 19 anos vivi num bairro de lata em Lisboa durante 15 dias, porque uma das minhas tias era freira e eu pedi-lhe muito que queria saber como era viver num sítio assim. Nunca mais vou esquecer as sensações que tive, pela primeira vez na minha vida, sobretudo o cheiro a esgoto nas ruas. Aprendi que há pessoas boas em qualquer lugar, que conseguimos viver com pouco, que há pessoas que todos os dias lutam por ter comida e reivindicam os seus direitos mais básicos e que eu era uma felizarda. Também estive em Setúbal, durante as férias de verão, nas Missionárias da Caridade (Irmãs da Madre Teresa de Calcutá). Foi incrível. Apanhei o autocarro para Setúbal e depois com a direção num papel, pedi ao motorista do táxi, para me levar até à morada. Foram experiências memoráveis com crianças que ninguém queria e com uma história de vida deveras sofrida. Na altura, dei por mim a pensar que só tinha que agradecer e aproveitar todos os desafios que a vida me dava. Cresci interiormente. Senti uma vontade enorme de ajudar as crianças e à noite, na camarata, contava-lhes histórias e cantava para as adormecer. NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – Foi notícia nos últimos dias por ter sido uma das finalistas Global Teacher Prize Portugal 2020. E sabemos que não foi o primeiro prémio que conquistou como professora. Como é ser uma das melhores professoras de Portugal? ANA MENDES – É uma honra fazer parte deste grupo de professores finalistas, mas, ao mesmo tempo, é sentir o que sempre senti. Levantar-me todos os dias e sorrir, quando penso: “Vou para a escola.” Ser eu mesma, com os valores sólidos, que os meus alunos tão bem caracterizaram, nas cartas de recomendação na candidatura ao Prémio Global Teacher Prize. Esse foi o meu “prémio”, pois vi a minha alma ao espelho. É, pois, ter vontade de continuar a ser, continuar a aprender em áreas como a educação para a sustentabilidade, património cultural, ferramentas digitais, entre outras, construindo juntos o saber num ambiente acolhedor, interessante, participativo e criativo para os alunos, que permite o direito de todos se afirmarem numa sociedade inclusiva e multicultural.

“Os alunos conhecem pessoas interessantes, têm experiências incríveis e implementam ações que podem mudar o mundo.”

NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – Sabemos que este não é o primeiro prémio que conquistou como professora. ANA MENDES – O reconhecimento de imensos prémios locais, regionais, nacionais, europeus e distinções são prova de que os alunos foram capazes de aprender e progredir como cidadãos no exercício de uma cidadania ativa. Destaco o 1º lugar no Prémio do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade Entre Gerações, em 2012; o 1º lugar e uma Menção Honrosa no Prémio Escolar do Ano Europeu do Património Cultural, em 2019; o 1º prémio no Concurso de Ideias – Escolas Empreendedoras; e 3º prémio na fase intermunicipal. O trabalho de qualidade foi valorizado publicamente nas galas da Educação promovidas pela autarquia. Estive presente em todas, a última, em dezembro de 2019, altura em que o município distinguiu o trabalho de excelência dos vários projetos submetidos a concursos regionais, nacionais e internacionais com a entrega de 5 galardões na categoria Património Local e Cultural (dois galardões), na categoria Desenvolvimento Positivo e Bem-Estar, na categoria Desenvolvimento Sustentável e na categoria Participação Democrática. O Ministério da Educação, através do serviço nacional de apoio Etwinning reconheceu o trabalho de excelência, em cerimónia pública, em novembro do ano passado, com a entrega de 3 galardões – Selos Europeus de Qualidade e Selo Escola Etwinning ou seja ser reconhecida como Escola Europeia, sinónimo de grande prestígio para o Agrupamento e, ainda, cerimónia pública, em janeiro de 2020 da entrega de 8 selos Escola Amiga da Criança. No dia 9 de novembro de 2020, os alunos do 9º ano da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica foram os vencedores do Prémio Nacional eTwinning 2020, na categoria Alterações Climáticas, com o projeto “Local and global change Agents” e fomos, ainda, distinguidos com 9 Selos Escola Amiga da Criança 2019-2020. NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – Participa de diversos projetos e concursos, individualmente e em grupo, tanto nacionalmente como ao nível europeu. Qual o impacto desse tipo de iniciativas? ANA MENDES – É um impacto positivo e significativo não só na vida pessoal, familiar, mas, também, na vida da comunidade. O impacto é grande porque os alunos acabam por ser agentes de mudança na comunidade influenciando os seus pares à mudança de atitudes e comportamentos, quando, por exemplo, levam a comunidade a um novo modelo de economia mais sustentável e circular influenciando a família nas mudanças de hábitos alimentares com o consumo de produtos locais, fazendo refeições mais ecológicas, saudáveis e sustentáveis, quando salvaguardam as sementes e as variedades tradicionais que se têm vindo a perder, recolhendo-as e selecionando-as, quando preservam o património natural, com a adoção de plantas em vias de extinção da Lista Vermelha da Flora Vascular de Portugal Continental, que se encontram atualmente ameaçadas de extinção, sendo padrinhos dessas plantas e levando outras pessoas da comunidade a adotar; quando plantam árvores na nossa escola e visitam o parque da cidade para conhecer a biodiversidade; quando se tornam voluntários e participam em causas sociais como a recolha de bens alimentares para a Associação Dar as Mãos; quando se preocupam com os problemas ambientais e recolhem o lixo colocado no chão da escola e na cidade… Os alunos conhecem pessoas interessantes, têm experiências incríveis e implementam ações que podem mudar o mundo.

“A inspiração para os projetos pode surgir de uma notícia que vejo na televisão, de uma formação – é o caso do atual projeto sobre atos de bondade, que estou a iniciar com uma professora da Turquia…”

NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – No âmbito do Global Teacher Prize Portugal 2020, também recebeu a menção honrosa “Sustentabilidade Social”. Como recebeu esta distinção? ANA MENDES – No regulamento do Global Teacher Prize fiquei a saber que a Fundação Galp pretende incentivar projetos educativos na área da sustentabilidade social. Não é uma candidatura à parte. Acredito que fui distinguida com a Menção Honrosa da Sustentabilidade Social pelo facto de ter desenvolvido 4 projetos ligados a esta temática e por evidenciar o trabalho que é feito com os alunos, por vezes com a família e comunidade. Entre muitas ações contribuirmos para que nossa escola atinja os Objetivos do Desenvolvimento do Milénio, 17 objetivos para transformar o mundo. NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – O que representam estas distinções? ANA MENDES – Representam a vocação para o ensino, impacto nos alunos, partilha de experiências e conhecimentos, o aprender juntos, o envolvimento da escola e da família, as parcerias com a comunidade, a inovação e a contribuição para a dignificação da profissão docente. NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – De onde vem a inspiração para os projetos? ANA MENDES – A inspiração para os projetos pode surgir de uma notícia que vejo na televisão, de uma formação – é o caso do atual projeto sobre atos de bondade, que estou a iniciar com uma professora da Turquia, da leitura de um livro, das aprendizagens essenciais da disciplina que leciono, do silêncio, que dedico diariamente e que é fonte de inspiração… As áreas temáticas são muito abrangentes e consistem em desenvolver projetos com temáticas como – Educação para a Sustentabilidade, Património Cultural, Direitos Humanos, Cidadania e Democracia, Alimentação Saudável e Empreendedorismo Social que são planeadas, desenvolvidas e implementadas, na maior parte das vezes, com a integração do currículo e com o envolvimento parental e parceiros locais ou europeus, utilizando uma metodologia que assenta em Aprendizagem Baseada em Projetos (Learning Based Project). A metodologia está centrada nos alunos, que trabalham colaborativamente entre si de acordo com as capacidades e o ritmo de cada um com vista às aprendizagens e resolução dos problemas. Constroem aprendizagens contextualizadas, significativas e ativas, de acordo com a temática do projeto, com atividades muito diversificadas, que requerem um conhecimento multidisciplinar e onde todas as áreas do conhecimento estão interligadas. Esta metodologia pode ser replicada, porque tem vindo a ser implementada em termos internacionais com bastante sucesso. Os projetos são muito diversificados e tornam os alunos úteis, mais felizes contribuindo com ideias e ações, para o bem comum, mudando o rumo da História.

“Estamos a viver momentos difíceis no planeta. A responsabilidade individual de cada um é crucial. Só será verdadeiramente eficaz se existir um compromisso de todos.”

NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – Sustentabilidade é palavra que está na moda. Como podemos ser sustentáveis de forma verdadeiramente eficaz no dia a dia? Os desafios são constantes e de vária ordem num mundo em mudança. Estamos a viver momentos difíceis no planeta. A responsabilidade individual de cada um é crucial. Só será verdadeiramente eficaz se existir um compromisso de todos.  Há vários eixos de atuação, pois, há muitas possibilidades para sermos amigos do planeta tendo em conta os dezassete objetivos do desenvolvimento sustentável. O que é garantido é que é um poder que temos, por exemplo, quando fazemos a gestão da água, aplicamos medidas de eficiência energética, contribuímos com a limpeza do plástico deixado no chão da escola e na rua da nossa cidade, usamos os transportes públicos, consumimos produtos alimentares locais e ecológicos, fazendo refeições mais ecológicas, saudáveis e sustentáveis, fazemos compras sustentáveis com a preocupação da redução da pegada ecológica, usamos sacos de pano em vez de plástico, substituímos o uso das garrafas de plástico por inox ou vidro, damos nova vida ao plástico, ao papel, vidro e tecido e transmitimos a mensagem que não é preciso comprar tudo e que os objetos recriados por nós têm um valor sentimental. NOTÍCIAS DE FAMALICÃO – Como consciencializar as crianças para a importância do ambiente de forma duradoura? ANA MENDES – Uma das formas é envolver os alunos em práticas de atuação de Educação para a Sustentabilidade integradas no currículo. Por exemplo, na disciplina de EMRC, no 8º ano, trabalhamos a unidade temática “Ecologia e Valores” e damos o exemplo de como é possível, acessível e fácil, diariamente, sermos agentes de mudança, por exemplo, quando o alunos pesquisam, descobrem, não só o caminho para o conhecimento através da experiência, mas o entusiasmo por conquistar o próprio conhecimento pela experiência. Desta forma, os alunos têm a possibilidade de compreender que há problemas globais e que há soluções. O mais importante é capacitar os alunos a tomar decisões conscientes e adotar ações responsáveis para assegurar a integridade ambiental, a viabilidade económica e uma sociedade justa para as gerações presentes e futuras.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here