7.9 C
Vila Nova de Famalicão
Terça-feira, 27 Fevereiro 2024

Eduardo Oliveira pressiona ministro da Saúde em defesa da maternidade de Famalicão

Deputado destacou a qualidade do serviço prestado na maternidade de Vila Nova de Famalicão, que serve uma população de 250 habitantes dos concelhos de Famalicão, Santo Tirso e Trofa.

2 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Rotary Club de Famalicão comemora o seu aniversário com a visita do governador

Clube famalicense comemora o 54 anos de existência.

MEDIUM comercializa 38 apartamentos junto ao Parque da Cidade da Póvoa de Varzim

Apartamentos deverão estar concluídos no final de 2025.

Agrupamento Terras do Ave reforça aposta na programação e robótica

Agrupamento tem escolas em 10 freguesias do concelho.

O deputado socialista Eduardo Oliveira voltou à carga com argumentos em defesa da maternidade de Vila Nova de Famalicão, interpelando o ministro da Saúde, Manuel Pizarro, esta terça-feira, no âmbito do debate do orçamento de Estado para 2023 na especialidade.

“Sr. ministro da Saúde, dr. Manuel Pizarro, vai continuar e investir numa maternidade de referência para o Serviço Nacional de Saúde?”, questionou Eduardo Oliveira, depois de sublinhar as qualidades do serviço de atendimento às grávidas que é prestado no Centro Hospitalar do Médio Ave.

O deputado socialista lembrou os investimentos recentemente realizados na maternidade famalicense, nomeadamente a criação de “uma sala Snoezelen”, equipamento único em Portugal numa maternidade “que aposta cada vez mais no parto humanizado”, sendo “uma referência, tal como diz o dr. Diogo Ayres dos Campos”, o autor de um estudo encomendado pelo Ministério da Saúde que recomenda o encerramento de várias maternidades, incluindo a de Vila Nova de Famalicão.

“Em Famalicão respeita-se um plano de parto. Em Famalicão admira-se a mulher grávida”, declarou Eduardo Oliveira, destacando, assim, a qualidade do serviço prestado no hospital de Vila Nova de Famalicão, que tem chamado a atenção de muitas famílias. “São casais de vários pontos do país que procuram Famalicão para ter o seu filho”, revelou Eduardo Oliveira, acrescentando que “em Famalicão existem profissionais que nunca abandonaram o Serviço Nacional de Saúde, mesmo nos momentos mais difíceis.”

O deputado do PS, que é vereador sem responsabilidades executivas na Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, realçou o dinamismo económico de Famalicão – “o concelho mais exportador a norte de Lisboa” e “um dos concelhos que mais contribuem para a riqueza nacional” –, e lembrou que a maternidade serve uma população de 250 habitantes dos concelhos de Famalicão, Santo Tirso e Trofa.

Na resposta à interpelação, o ministro da saúde, Manuel Pizarro, afirmou que a questão da reorganização das maternidades é uma matéria em análise, mas referiu que não está tomada nenhuma decisão do Ministério da Saúde, havendo necessidade de suportar qualquer decisão com a ponderação de outros elementos além do estudo já realizado.

Refira-se que esta não é a primeira vez que Eduardo Oliveira questiona o ministro da Saúde sobre este assunto. O deputado questionou Manuel Pizarro por escrito e o tema também foi abordado numa reunião do ministro com os deputados da comissão parlamentar de saúde, da qual Eduardo Oliveira é membro.

Comentários