9 C
Vila Nova de Famalicão
Sábado, 4 Fevereiro 2023

Governo garante internamento de doentes demenciais em Riba de Ave 

Garantia foi dado ao deputado Eduardo Oliveira pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho.

2 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Mário Passos e Eduardo Oliveira têm uma história da vida pessoal em comum

Saiba o que liga os dois políticos famalicenses.

Trabalhadores da Transdev em greve na segunda-feira

Usa transporte público rodoviário em Famalicão? Há greve marcada na Transdev

Moradores de Gondifelos protestam e lagoa de “lixo” é chumbada

Moradores entregaram à Câmara Municipal um abaixo-assinado contra a construção de uma lagoa chorume, líquido que resulta da decomposição do lixo.

Noite de Carnaval terá 12 linhas de autocarros gratuitos para o centro de Famalicão

Três horários disponíveis para ir e regressar.

O novo Centro de Investigação, Diagnóstico, Formação e Acompanhamento das Demências (CIDIFAD), uma nova unidade funcional da Santa Casa da Misericórdia de Riba de Ave, no concelho de Vila Nova de Famalicão, vai continuar a ter financiamento do Governo para suportar o acolhimento de pessoas com demência.

A garantia foi deixada esta sexta-feira, na Assembleia da República, pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, ao responder a uma pergunta do deputado famalicense Eduardo Oliveira.

O deputado famalicense eleito pelo Partido Socialista destacou em concreto o caso do centro de demências de Riba de Ave e quis saber se o Governo vai proceder ao prolongamento do programa das altas sociais, que garante um apoio importante aos doentes demenciais.

Liderado pelo médico Salazar Coimbra, que é administrador-delegado da Misericórdia de Riba de Ave, o CIDIFAD, que implicou um investimento privado na ordem dos 20 milhões de euros, “é uma estrutura de saúde inovadora, cujo projeto é do conhecimento da senhora ministra Ana Mendes Godinho, que coloca Portugal na vanguarda europeia ao nível das respostas ao problema das demências”, frisou Eduardo Oliveira.

Aliás, por solicitação da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, o Centro de Demências de Riba de Ave acolhe 38 utentes em cuidados continuados de longa duração, oriundos do Serviço Nacional de Saúde, mediante o pagamento de 1300 euros mensais por cada internamento.

Neste momento, conforme solicitação da senhora ministra, o Centro de Demências de Riba de Ave acolhe 38 utentes com demência, oriundos do Serviço Nacional de Saúde, ao abrigo do programa das altas sociais, mediante o pagamento de 1300 euros mensais por cada internamento. O que, para cuidar de 38 pessoas, perfaz uma despesa do Governo superior a 592 mil euros anuais.

“Segundo informação da Misericórdia de Riba de Ave, o pagamento desses internamentos está previsto no programa das altas sociais até dezembro de 2022”, lembrou o deputado do PS, questionando, então, Ana Mendes Godinho, se os apoios vão ou não continuar a partir de janeiro de 2023.

“O programa de altas sociais criado em plena pandemia já abrange, neste momento, cerca de quatro mil pessoas. Sobre o Centro de Demências de Riba de Ave, é evidente que é para continuar, numa parceria conjunta entre os ministérios da Saúde e da Segurança Social”, respondeu Ana Mendes Godinho, durante mais um debate na especialidade sobre o Orçamento de Estado para 2023.

Esta garantia do Governo foi bem recebida pela Santa Casa da Misericórdia de Riba de Ave. Tanto mais que, como referiu Eduardo Oliveira na sua intervenção no hemiciclo parlamentar, “considerando as necessidades da população ao nível do apoio nas situações de demência, é fundamental o apoio do Estado no acesso a uma intervenção diferenciada e ajustada às especificidades dos diferentes estádios do processo demencial”.

Comentários