7.9 C
Vila Nova de Famalicão
Terça-feira, 27 Fevereiro 2024

Mário Passos promete baixa IMI em 0,01% em 2023

Câmara de Famalicão apresenta orçamento de 139 milhões de euros para 2023. Despesa corrente cresce 12 milhões de euros.

2 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Rotary Club de Famalicão comemora o seu aniversário com a visita do governador

Clube famalicense comemora o 54 anos de existência.

MEDIUM comercializa 38 apartamentos junto ao Parque da Cidade da Póvoa de Varzim

Apartamentos deverão estar concluídos no final de 2025.

Agrupamento Terras do Ave reforça aposta na programação e robótica

Agrupamento tem escolas em 10 freguesias do concelho.

O Orçamento da Câmara de Famalicão para 2023 é “perto de 139 milhões de euros”, sensivelmente mais 5 milhões do que o orçamento deste ano.

Mário Passos anuncia uma descida da taxa de IMI em Famalicão, que passa de 0,35% para 0,34%. [ver aqui Câmara de Famalicão cobra o segundo Imposto Municipal sobre Imóveis mais elevado do distrito]

Em relação ao IRS, o autarca afirma que a autarquia tinha mudado de 0,5% para 0,45%, a propósito da COVID-19, e vai manter neste valor.

Em comunicado, a Câmara de Famalicão refere que “com estas duas reduções o município deixa de arrecadar 1,3 milhões de euros que ficam no bolso dos famalicenses”.

Já a despesa corrente cresce 12 milhões de euros, o que segundo a autarquia, “se explica pelos impactos dos aumentos dos preços, nomeadamente, os custo energéticos, da transferência de competências, pelas novas responsabilidades assumidas na educação e ação social, e da acomodação dos aumentos salariais, pela valorização remuneratória imposta pela lei e pela admissão dos novos assistentes operacionais”.

Estes são alguns dos pontos das  ‘Grandes Opções do Plano e Orçamento de 2023’ que vão ser apresentadas em Reunião de Câmara Extraordinária na próxima quinta-feira, 24 de novembro. Recorde-se que Mário Passos lidera um executivo com maioria, ou seja, apenas são necessários os votos dos vereadores da coligação PSD/CDS para aprovação das propostas.

Refira-se que do valor total do orçamento previsto para 2023, 9,5 milhões são provenientes de fundos comunitários, ainda relativos a projetos aprovados no âmbito do Portugal 2020, como nos casos da reabilitação da Estação Rodoviária, da requalificação e recuperação hidrográfica da Bacia do Ave e da conclusão de vários projetos estruturantes desenvolvidos nos últimos anos, como a requalificação do Centro Urbano e a construção da rede de ciclovias urbanas.

Ao nível de novos financiamentos comunitários, há a construção das novas Unidades de Saúde Familiar (USF) de Joane e S. Miguel-o-Anjo, em Calendário, e o início da operação tendente à construção da residência universitária.

Comentários