23.5 C
Vila Nova de Famalicão
Quarta-feira, 5 Outubro 2022

Maternidade de Famalicão em risco de encerrar devido ao baixo número de partos

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o encerramento de blocos de parto com menos de 1500 partos por ano. Em Famalicão nascem menos de mil bebés por ano. Hospital recusa comentar o assunto, mas profissionais do bloco de parto reagem, lembrando que "a maternidade nunca encerrou mesmo em períodos críticos".

1 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Feira Grande de S. Miguel animou o centro da cidade

Certame dedicado às tradições famalicenses aconteceu no último fim de semana.

PAN preocupado com a qualidade das refeições escolares em Famalicão

Alergénios na sopa e a presença de dióxido de enxofre e sulfitos em algumas refeições são algumas das preocupações do PAN com as refeições nas escolas famalicenses.

GRACAFE promove 6ª Corrida Pedome / Oliveira Santa Maria

Evento terá lugar dia 22 de outubro. Além das corridas, será realizada uma caminhada solidária.

CIOR inicia ano letivo com várias dinâmicas no âmbito do programa europeu Erasmus+

Os estágios serão realizados em empresas e instituições parceiras da escola.

O bloco de partos de Famalicão – que recebe grávidas de Famalicão, Trofa e Santo Tirso – pode vir a encerrar no âmbito da reorganização da rede de urgências de obstetrícia e blocos de partos. A notícia é avançada pela Renascença que informa que o documento elaborado pela Comissão para Reforma das Maternidades está pronto e será entregue ao ministro em breve.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o encerramento de blocos de parto com menos de 1500 partos por ano. Em Famalicão, são feitos menos de mil partos por ano. Além de ter menos 30% do limiar mínimo de partos, a maternidade de Famalicão está a cerca de 30 quilómetros da Póvoa do Varzim (com mais de 1.200 partos por ano).

A estratégia definida pelos peritos que elaboraram o relatório para Comissão para Reforma das Maternidades passa pela concentração de serviços e fecho de unidades. Além do número de partos anuais, o relatório tem em conta critérios como as acessibilidades das populações e as distâncias entre maternidades.

O NOTÍCIAS DE FAMALICÃO contactou administração do Centro Hospitalar do Médio Ave, que respondeu que “nesta fase não vamos fazer comentários”.

No entanto, numa página no Facebook gerida pelos profissionais da maternidade, foi publicado um comunicado que refere que “as notícias que saíram sobre o seu possível encerramento são apenas propostas”, acrescentando que “a maternidade prestou sempre cuidados à população e nunca encerrou mesmo em períodos críticos. E assim esperamos continuar”.

* notícia atualizada às 12:35 com a resposta da Administração do CHMA

Comentários

- Publicidade -
- Publicidade -