29.6 C
Vila Nova de Famalicão
Sexta-feira, 27 Maio 2022
Susana Dias
Socióloga, mestre pela Universidade do Minho, pós-graduada em Gestão e Administração em Saúde e apaixonada pela geriatria. É diretora clínica da Oldcare Famalicão.

Tem mais dores nas costas no frio?

Calcula-se que cerca de dois terços das pessoas em idade adulta podem sentir dor nesta região do corpo. Quando as temperaturas descem é normal que o nosso corpo se ressinta. Saiba como prevenir o aparecimento de dores nas costas com a mudança de hábitos simples.

2 min de leitura
- Publicidade -
Susana Dias
Socióloga, mestre pela Universidade do Minho, pós-graduada em Gestão e Administração em Saúde e apaixonada pela geriatria. É diretora clínica da Oldcare Famalicão.

Famalicão

Famalicense António Cândido de Oliveira recebe Insígnia de Ouro na Galiza

A distinção da universidade galega reconhece o professor pelo seu trabalho no avanço do Direito Público e Administrativo.

Negócio polémico em Mouquim. Câmara paga 240 mil euros por terreno avaliado em 145 mil

Maioria PSD-CDS na Câmara de Famalicão aprovou pagar 240 mil euros por um terreno avaliado duas vezes e que técnicos municipais tinham avaliado por 145 mil. "Uma história mal contada", acusa o PS.

PSD-Famalicão. Sofia Fernandes lidera candidatos a delegados de Montenegro ao congresso nacional

Sofia Fernandes vai disputar os delegados do PSD famalicense com Jorge Moreira da Silva, que é candidato à liderança nacional do partido.

Engenho celebra 28º aniversário

Instituição está a desenvolver o projeto "Laços com Engenho/Compromisso com a Comunidade".

Quem nunca sentiu uma dor nas costas? Estima-se que 72,4% dos portugueses sofrem ou já sofreram de dor nas costas. A causa pode ser do esforço em excesso, da falta de exercício, da má postura ou simplesmente da idade. Mas quando as temperaturas descem é normal que o nosso corpo se ressinta.

Em Portugal, as lombalgias representam cerca de 70% das queixas de dor nas costas. As lombalgias são dores no fundo das costas que podem irradiar para as coxas. Calcula-se que cerca de dois terços das pessoas em idade adulta podem sentir dor nesta região do corpo.

É uma dor que causa um desconforto que pode durar alguns dias ou até alguns meses. A anca, os joelhos e a coluna são as partes do corpo mais afetadas. No entanto, os processos de dor são potencializados no inverno, porque as pessoas são mais sedentárias, e o corpo requer movimento.

Por outro lado, as temperaturas mais baixas conduzem a posturas incorretas, com contrações mais acentuadas e são estas contrações que deixam os músculos e as articulações mais rígidas, provocando as inflamações como as artrites.

A contração muscular provoca a vasoconstrição, ou seja, a contração dos vasos sanguíneos que reduz a irrigação muscular diminuindo assim o aporte sanguíneo. Na qual dá-se uma rigidez articular maior, alterações das posturas que limitam e dificultam alguns movimentos, sendo responsáveis por um aumento de dores nas regiões lombar e cervical.

Pessoas com artrites e artroses devem ter especial cuidado nos meses de inverno, porque a tendência é que a inflamação se agrave.

Algumas mudanças nos comportamentos podem prevenir o aparecimento de dores nas costas. Fazer exercício físico regular que tenha baixo impacto nas costas. Mantenha uma postura correta quando se senta. Quando vai dormir é fundamental descansar numa cama adequada, num colchão que sirva de suporte para a coluna, pode colocar uma almofada entre os joelhos de forma a dividir o peso e abraçar a almofada para ter estabilidade dorsal. Quando acordar, e antes de se deitar, espreguice-se. Faça alongamentos dos músculos e das articulações. Se carregar malas ou mochilas distribua o peso pelos dois ombros. Levante pesos com as pernas e não com as costas. Mantenha um peso saudável. Tenha uma alimentação saudável e não fume.

A receita é manter uma boa condição física, fazer algum exercício físico e dedicar alguns minutos por dia a alongamentos quanto mais não seja espreguiçar de vez em quando. O nosso esqueleto e os músculos estarão mais fortes.

Comentários

Susana Dias
Socióloga, mestre pela Universidade do Minho, pós-graduada em Gestão e Administração em Saúde e apaixonada pela geriatria. É diretora clínica da Oldcare Famalicão.