11.3 C
Vila Nova de Famalicão
Segunda-feira, 1 Março 2021
Partilhar
  • 451
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    451
    Shares

Virgílio Sá cresce na pandemia e torna-se PME Líder pela primeira vez

A Virgílio Sá – Transportes, empresa do setor da construção com sede em Requião, concelho de Famalicão, acabou 2020 a celebrar o estatuto de PME Líder. A pandemia trouxe mudanças com duas novas empresas e novos negócios.

2 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Júlio Brandão, a livraria de Famalicão que o Estado Novo impediu que fosse editora

A vida da livraria Júlio Brandão foi breve e atribulada, mas intensa. Abalou o mercado livreiro português, pelo arrojo em editar livros políticos de autores marxistas e maoristas, considerados malditos pelo regime do Estado Novo. E abriu portas a jovens investigadores portugueses. Como José Pacheco Pereira.

Doze alunos de Famalicão seguem em frente no Concurso Nacional de Leitura

No total, foram apurados 12 vencedores, quatro por cada nível de ensino, que seguirão para a próxima fase do concurso.

NOTÍCIAS DE FAMALICÃO lança “Diálogos Autárquicos” em cartoon

O NOTÍCIAS DE FAMALICÃO dá mais um pequeno passo na diversificação dos seus conteúdos.

GRAL promove campanha de recolha de alimentos e vestuário

Campanha decorre este sábado, dia 27, no Campo de Jogos José da Costa Rodrigues, na Lagoa.
Partilhar
  • 451
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    451
    Shares

A empresa do setor da construção Virgílio Sá – Transportes, com sede na freguesia de Requião, concelho de Vila Nova de Famalicão, acabou 2020 a celebrar a conquista, pela primeira vez, do estatuto de PME Líder.

Trata-se de um selo de reputação criado pelo Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação (IAPMEI) para distinguir o mérito das pequenas e médias empresas nacionais com desempenhos superiores.

As PME Líder têm acesso a um conjunto de benefícios, como condições especiais no acesso a produtos financeiros e a uma rede de serviços, a facilitação da relação com a banca e o prestígio associado à marca PME Líder na relação com os seus “stakeholders”.

Comércio de materiais de construção civil, terraplanagens, demolições e transporte de inertes são o negócio da Virgílio Sá. Fotografia DR

“As boas notícias são sempre bem recebidas. Mas não podemos relaxar. Hoje estamos bem, mas amanhã não sabemos. Obviamente, estou muito contente, pois é sinal de que o nosso trabalho diário está a dar os seus frutos”, afirmou ao NOTÍCIAS DE FAMALICÃO o gestor da empresa Virgílio Sá – Transportes, Miguel Ferreira, de 44 anos.

Miguel Ferreira no terreno, a esposa, Carla Marisa, na área financeira, e o cunhado, Pedro Sá, lideram esta empresa familiar, que agora se prepara para diversificar as suas áreas de negócio.

Desde que foi fundada, em 1997, na “reta das águas”, na freguesia da Lagoa, a Virgílio Sá foi subindo os degraus da escada através do comércio de materiais de construção civil, terraplanagens, demolições e transporte de inertes, transportes nacionais e internacionais.

Miguel Ferreira é vice-presidente do Avidos e Lagoa. Fotografia DR

A sede da empresa está hoje em Requião, onde Miguel Ferreira nasceu e vive, mas um dos estaleiros está situado na Rua da Lage, em Avidos, bem próximo do Grupo Recreativo Avidos e Lagoa, onde o empresário é vice-presidente com o pelouro das obras.

Em 2019, a empresa gerou um volume de negócios de 1,9 milhões de euros. E o ano de 2020 “fechou ainda mais positivo”, segundo revelou Miguel Ferreira, com um aumento na faturação. Esta evolução foi decisiva para alcançar a distinção como PME Líder. “É um incentivo para fazer mais e melhor”, comenta o gestor.

Com otimismo, apesar da pandemia, 2021 será um ano de novos desafios, com a diversificação das áreas de negócio, colocando o grupo Virgílio Sá menos dependente das oscilações do mercado da construção civil.

Assim, foram criadas mais duas empresas: a Sólida Práxis, que vai atuar no ramo da promoção imobiliária e construção, e a Práxis Permanente, para o setor das obras públicas, que será especializada na construção e pavimentação de estradas.

“São duas empresas criadas recentemente que já estão em atividade”, informa Miguel Ferreira, confiante no sucesso das apostas.

Paralelamente à criação de novas empresas, o grupo Virgílio Sá investe na compra de dois novos equipamentos de movimentação de terras: um camião e uma máquina. No total foram investidos 200 mil euros.

Sobre o futuro, Miguel Ferreira é cauteloso: “Vamos ver o que vai acontecer com a pandemia. O mundo está instável”, reconhece o gestor.

Comentários