14.4 C
Vila Nova de Famalicão
Segunda-feira, 1 Março 2021
Partilhar
  • 79
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    79
    Shares

Louropel investe na reciclagem para aumentar produção de botões biodegradáveis

Projeto de expansão da empresa famalicense contempla a construção de uma unidade de reciclagem para produzir botões com matérias-primas biodegradáveis. O investimento é de cerca de um milhão de euros.

2 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Com menos casos de covid-19, Famalicão tem risco “moderado” de contágio

Segundo o relatório divulgado nesta segunda-feira, dia 1 de março, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), o número de casos de covid-19 em Vila Nova de Famalicão voltou a diminuir. O novo relatório dá conta de 230 novos casos por cem mil habitantes nos últimos 14 dias.

ACIF promove formação para desempregados

Estão abertas as inscrições abertas para o curso de Operador de Distribuição. As aulas serão realizadas em horários laboral.

Júlio Brandão, a livraria de Famalicão que o Estado Novo impediu que fosse editora

A vida da livraria Júlio Brandão foi breve e atribulada, mas intensa. Abalou o mercado livreiro português, pelo arrojo em editar livros políticos de autores marxistas e maoristas, considerados malditos pelo regime do Estado Novo. E abriu portas a jovens investigadores portugueses. Como José Pacheco Pereira.

Doze alunos de Famalicão seguem em frente no Concurso Nacional de Leitura

No total, foram apurados 12 vencedores, quatro por cada nível de ensino, que seguirão para a próxima fase do concurso.
Partilhar
  • 79
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    79
    Shares

A Louropel, fábrica de botões sediada na freguesia do Louro, irá realizar uma nova ampliação, com um investimento de cerca de um milhão de euros, para a construção de uma unidade de reciclagem para produzir matérias-primas para botões biodegradáveis.

A empresa famalicense é a maior produtora de botões do mundo com uma produção diária de 9 a 12 milhões de unidades, sendo 85% dessa produção exportada para grandes marcas da moda internacional.

A Europa e os Estados Unidos são principais mercados da Louropel, qjue fornece marcas mundiais de vestuário como a Hugo Boss, Ralph Lauren, Armani, Valentino, Kenzo, Massimo Dutti, entre outras.

A Louropel emprega atualmente cerca de 250 trabalhadores e o seu investimento nos últimos anos ascende a 50 milhões de euros em projetos de ampliação e modernização.

UNIDADE DE RECICLAGEM

O projeto de expansão da empresa prevê a instalação de uma das cinco novas unidades funcionais a construir – uma estrutura autónoma de classificação e produção de materiais reciclados, designada por Unidade de Reciclagem, destinada à produção de botões a partir de material reciclado.

Esta unidade permitirá à empresa liderada por Avelino Rego e sua irmã Maria da Conceição Rego aumentar a sua capacidade na produção de botões reciclados, cada vez mais procurados pelos mercados mais exigentes.

A Câmara Municipal de Famalicão classificou o projeto de expansão da Louropel como um investimento de relevante interesse público e deu parecer positivo para a desafetação necessária de uma parcela de terreno da Reserva Agrícola Nacional (RAN) onde a empresa pretende instalar a nova unidade fabril.

Os botões produzidos através de energias mais limpas e com a incorporação de produtos naturais e reciclados – os chamados botões ecológicos biodegradáveis – são já uma imagem de marca da empresa famalicense, que com a construção desta nova unidade de reciclagem passará a rececionar resíduos de outras atividades económicas, respondendo a novos padrões de consumo ecológico e sustentável e contribuindo ainda mais para a neutralidade carbónica e para a economia circular.

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão considera que a Louropel é “uma empresa com história, que tem apostado muito na sustentabilidade ambiental dos seus processos produtivos”, e classifica a intenção de expansão da Louropel como “uma boa notícia para Vila Nova de Famalicão” que, “nesta fase menos positiva, continua a ter empresas dispostas a apostar na melhoria das suas condições produtivas”.

Comentários