14.8 C
Vila Nova de Famalicão
Sábado, 31 Julho 2021
Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Carlos Jorge Figueiredo
É farmacêutico, nasceu em Anadia e está radicado em Famalicão desde 1993. Lidera o núcleo local da Iniciativa Liberal.

E se os “mouros” formos nós? Sim, os famalicenses!

Apesar de Famalicão o segundo concelho mais exportador do País, os trabalhadores famalicenses têm um rendimento médio inferior à média nacional. Mas sobre isto o que dizem os protagonistas políticos locais? Nada. Acredito que tudo deveria ser feito para aumentar os rendimentos dos famalicenses. Mas de que forma? Diminuindo os impostos municipais.

6 min de leitura
- Publicidade -
Carlos Jorge Figueiredo
É farmacêutico, nasceu em Anadia e está radicado em Famalicão desde 1993. Lidera o núcleo local da Iniciativa Liberal.

Famalicão

Os famalicenses têm o direito à verdade e não à manipulação

Os famalicenses têm o direito de saber o que está a ser feito na cidade, como está a ser feito e porque está a ser feito. Têm direito à verdade dos factos em vez de manipulação cosmética da realidade.

Famalicense Injex entra na Câmara de Comércio Luso-Alemã

A Injex, empresa especializada na produção de componentes técnicos em plástico pelo processo de injeção para todo o tipo de máquinas, aposta na internacionalização.

Está na hora de quebrar o ciclo

Precisamos de quebrar o ciclo de políticas desadequadas aos desafios que vivemos, precisamos de um novo ciclo de políticas públicas assente numa visão ecocêntrica e sustentável – e esse momento é agora!

Continental promove inclusão social com programa de estágio e emprego

A empresa recebeu quatro pessoas com necessidades especiais para realização de um estágio no âmbito do programa de cooperação com a ACIP e o IEFP. Duas destas pessoas são hoje membros efetivos da empresa.
Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A palavra “mouro” está associada aos povos invasores da Península Ibérica durante a Idade Média. Acontece que a palavra começou a usar-se também no continente português, como um adjetivo relativo aos habitantes do sul do país, em tom de brincadeira ou até depreciativo, no sentido de significar uma menor portugalidade, visto estarem mais afastados do berço da nacionalidade, Guimarães. Nada de importante, apenas bairrismos, existentes um pouco por todo o lado.

Mas existe outro significado de “mouro” que gostaria de desenvolver, que é a expressão utilizada em Portugal, com o sentido de pessoa esforçada e sacrificada, que trabalha muito. É aqui que eu queria chegar!

Os verdadeiros mouros, neste sentido de trabalhadores esforçados, são os povos do Norte do País, pois são aqueles que mais trabalham e menos recebem. É no Norte, mais propriamente, a partir de Aveiro, onde a taxa de população ativa é maior (cerca de 70%) e onde estão localizados os concelhos que mais produzem e mais exportam, a começar em Famalicão (o primeiro do Norte), seguindo-se Braga, Maia, Vila Nova de Gaia e Guimarães. Excluindo Lisboa, que a