14.7 C
Vila Nova de Famalicão
Sábado, 31 Julho 2021
Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
    1
    Share

Museu da Guerra Colonial comemora 20º aniversário com novidades

Foi lançado um novo portal na internet e uma nova aplicação móvel.

2 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Os famalicenses têm o direito à verdade e não à manipulação

Os famalicenses têm o direito de saber o que está a ser feito na cidade, como está a ser feito e porque está a ser feito. Têm direito à verdade dos factos em vez de manipulação cosmética da realidade.

Famalicense Injex entra na Câmara de Comércio Luso-Alemã

A Injex, empresa especializada na produção de componentes técnicos em plástico pelo processo de injeção para todo o tipo de máquinas, aposta na internacionalização.

Está na hora de quebrar o ciclo

Precisamos de quebrar o ciclo de políticas desadequadas aos desafios que vivemos, precisamos de um novo ciclo de políticas públicas assente numa visão ecocêntrica e sustentável – e esse momento é agora!

Continental promove inclusão social com programa de estágio e emprego

A empresa recebeu quatro pessoas com necessidades especiais para realização de um estágio no âmbito do programa de cooperação com a ACIP e o IEFP. Duas destas pessoas são hoje membros efetivos da empresa.
Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 1
  •  
    1
    Share

O Museu da Guerra Colonial, em Famalicão, tem um novo portal na internet e uma nova aplicação móvel que inclui uma ferramenta de realidade aumentada com recurso a códigos QR, distribuídos pelo espaço expositivo.

“Um salto qualitativo” para o museu, referiu na apresentação Leonel Rocha, vereador da cultura do Município, numa cerimónia que decorreu no dia 9 de julho com a presença de Augusto Silva, presidente da direção da Associação do Museu da Guerra Colonial, Luís Ângelo, secretário da Assembleia Municipal, Adelino Oliveira, presidente da junta da freguesia de Ribeirão, e José Manuel Lages, diretor científico do museu.

José Manuel Lages destacou que o Museu da Guerra Colonial tem “a missão de divulgar não só a história, mas também os aspetos ocultos da guerra colonial”. Nesta perspetiva, acredita que o acréscimo de um elemento audiovisual ao itinerário, através de realidade aumentada, permitirá tornar a experiência mais interessante para quem visita. “As imagens aumentadas, que foram criadas para o museu, têm associados documentos, filmes pessoais e depoimentos que podem completar a visita ao museu”, referiu o diretor científico.

A aplicação, desenvolvida pela empresa RM Pro, está disponível para Android e iOS, podendo ser descarregada logo à entrada do museu, através da leitura, com o telemóvel, de um código QR. Dentro desta, há informação sobre o Museu da Guerra Colonial, assim como uma opção denominada “Experiência RA” que possibilita o acesso a vídeos explicativos, sempre que o visitante apontar o telemóvel para cada código QR existente nas 10 placas temáticas espalhadas pelo museu.

Recorde-se que o Museu da Guerra Colonial nasceu no ano de 1999, através de uma parceria entre o Município de Vila Nova de Famalicão, a ADFA (Associação dos Deficientes das Forças Armadas) e ALFACOOP (Externato Infante D. Henrique), tendo por base um projeto pedagógico intitulado “Guerra Colonial, uma história por contar”. Todo o acervo museológico foi cedido ou doado por antigos combatentes ou seus familiares, delegações da Associação dos Deficientes das Forças Armadas e pelos vários ramos das Forças Armadas Portuguesas. O museu encontra-se instalado no Lago Discount, na freguesia de Ribeirão.

Comentários