14.4 C
Vila Nova de Famalicão
Domingo, 9 Maio 2021
Partilhar
  • 21
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    21
    Shares

Hospital de Braga recebeu mais de 850 casos de AVC em 2020

A doença vascular cerebral continua a ser a principal causa de morte em Portugal.

2 min de leitura
- Publicidade -

Famalicão

Tabu desfeito. Paulo Cunha não é candidato e deixa Famalicão em Outubro

A decisão do autarca foi oficializada esta semana numa reunião com os vereadores da coligação PSD-CDS.

Famalicão. Grupo Eco-Trocas dá vida nova a artigos excedentes e em desuso

O grupo tem como missão incentivar o aproveitamento de recursos e contribuir para a diminuição de desperdícios.

Eduardo Oliveira e as Antoninas: “Manda a prudência que se fale claro aos famalicenses”

A Câmara de Famalicão anunciou o regresso das Antoninas. Mas estamos em estado de calamidade que impõe muitas restrições. A polémica está instalada. O líder do PS lança várias questões à Câmara Municipal. Paulo Cunha acusa-o de ser eleitoralista.

Deputada do PCP no Parlamento Europeu visita a Associação de Moradores das Lameiras

Sandra Pereira elogiou o trabalho da instituição que considera "ser uma referência nacional".
Partilhar
  • 21
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    21
    Shares

O Dia Nacional do Doente com Acidente Vascular Cerebral (AVC), assinado a 31 de março, tem como objetivo sensibilizar a população para a doença, reforçando a importância das medidas preventivas, bem como a contínua melhoria das práticas clínicas nesta área.

No ano de 2020, no Hospital de Braga estiveram internados mais de 850 doentes por suspeita e posterior diagnóstico efetivo de Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Englobam-se, neste número total, todos os doentes encaminhados pelo INEM, através da Via Verde de AVC e todos os outros episódios com o mesmo diagnóstico admitidos pelo Serviço de Urgência ou outros Serviços do Hospital.

A deteção precoce, o controlo de fatores de risco e a consciencialização da doença são fundamentais para a prevenção numa ótica de atitude social pró-ativa, com aumento efetivo da literacia em saúde.

Assim, torna-se fundamental trabalhar-se nos fatores de risco que dependem de cada um, realçando-se a prática regular de exercício físico, o controlo da tensão arterial, uma alimentação saudável, um descanso equilibrado, entre outros.

Segundo a Responsável da Unidade de AVC (UAVC) do Hospital de Braga, Carla Ferreira: “Mesmo em tempo de pandemia, é fundamental a prevenção primária. A doença vascular cerebral continua a ser a principal causa de morte em Portugal. Torna-se muito importante mantermo-nos atentos aos sinais da doença, tomando medidas no nosso dia-a-dia que ajudem a prevenir a mesma ou, pelo menos, que diminuam a possibilidade dela surgir”.

Reitera, ainda, que “reconhecer os sinais é essencial para um tratamento adequado, para um prognóstico mais favorável e para a menor possibilidade de sequelas. Sinais como, por exemplo, falta de força no braço, alteração na fala, boca ao lado, são indicação para pedir ajuda médica imediata.”

A Unidade de AVC do Hospital de Braga é, a nível nacional, a mais ativada pelo INEM, na Via Verde do AVC, sendo composta por uma equipa multidisciplinar que permite uma intervenção precoce e rápida no tratamento desta patologia, no doente agudo.

Apesar da reorganização da Unidade que a COVID-19 obrigou, a UAVC do Hospital de Braga manteve a sua atividade na prestação contínua de cuidados a todos os doentes que dela necessitem.

Comentários